Primeiro centro de estudos alemães da América Latina é inaugurado no RS

Coordenado pela UFRGS e pela PUCRS, o CDEA pretende expandir a relação com uma das maiores potências do mundo.

Cairoli saudou o evento e lembrou que o 35º Encontro Econômico Brasil-Alemanha, vai ocorrer em Porto Alegre, em novembro – Foto: Daniela Barcellos/Palácio Piratini

O primeiro Centro de Estudos Europeus e Alemães (CDEA) da América Latina foi inaugurado nesta segunda-feira (10), em Porto Alegre. O centro, financiado pelo Ministério das Relações Exteriores da Alemanha ao custo de 2,5 milhões de euros, reúne pesquisadores e oferece cursos de especialização sobre Alemanha e União Européia, além de bolsas de intercâmbio. A solenidade de inauguração no Teatro da PUC teve a presença do embaixador da Alemanha no Brasil, George Witschel, autoridades, deputados, secretários, professores e convidados.

“Quando as instituições se unem, somam esforços, as ações se concretizam. Esse centro de estudos é uma conquista do Rio Grande, fruto de uma parceria modelar, é um espaço para aprender e oferecer conhecimento”, saudou o vice-governador José Paulo Cairoli. Na ocasião, Cairoli lembrou que o 35º Encontro Econômico Brasil-Alemanha, vai ocorrer em Porto Alegre, de 12 a 14 de novembro, no centro de eventos da FIERGS.

Coordenado pela UFRGS e pela PUCRS, o CDEA pretende expandir a relação com uma das maiores potências do mundo. A sede será no campus da PUCRS, no sexto andar do prédio 5. As ações do centro terão como foco a globalização, o desenvolvimento sustentável e a diversidade cultural, e estarão interligadas com as demais instituições espalhadas pelo mundo.

A diretora do escritório regional do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) no Brasil, Martina Schulze, falou da proposta conjunta da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), escolhida entre oito candidaturas brasileiras, que têm potencial para transformar o centro numa referência mundial.

“Para a Alemanha, o Brasil é um país muito importante na cooperação científica, e havia um grande interesse de ambos os lados no projeto. A ideia é não somente integrar o Brasil a essa rede, mas também beneficiar outros países da América Latina”, explicou.

A capital gaúcha foi escolhida para sediar o projeto. Após disputar com outras cidades brasileiras, somente Rio de Janeiro e Porto Alegre passaram para a etapa final, que consistia em uma visita aos possíveis locais do centro. O Ministério alemão mandará recursos por cinco anos, podendo ser prorrogado pelo mesmo período.

CDEA
O CDEA concentrará pesquisas nas áreas de globalização, desenvolvimento sustentável e diversidade cultural, com foco na Alemanha e na Europa, além de oferecer bolsas para alunos e professores que trabalham com esses temas. Atualmente, já conta com 58 pesquisadores. A iniciativa visa também ampliar e aprimorar os conhecimentos sobre a Alemanha no país.
A formação oferecida pelo centro possibilitará ainda que boas práticas aplicadas em países europeus possam ser transferidas para o Brasil. Assim, especialistas em Alemanha formados no CDEA poderão, por exemplo, prestar consultorias a governos sobre políticas públicas que deram bons resultados no país estudado.