Dia Nacional de combate e prevenção da Hipertensão Arterial é nesta quarta-feira (26)

Pressão alta é responsável por 40% dos infartos, 80% dos acidentes vascular cerebral (AVC). Atividade física pode ajudar na prevenção e no controle da doença

Classificação da pressão arterial em adultos – quando as pressões sistólica e diastólica de um indivíduo são classificadas em diferentes categorias, a mais alta é utilizada para classificar sua pressão arterial. A pressão arterial ideal para a minimização do risco de problemas cardiovasculares situa-se abaixo de 120/80 mmHg. Para a maioria da população, a pressão arterial deve estar abaixo de 140 e/ou 90 mmHg, exceto para os diabéticos (<130/85 mmHg) e renais crônicos (indo até < 120/75 mmHg)

Nesta quarta-feira (26) é o Dia Nacional de Combate a Hipertensão Arterial. Anualmente quase trezentas mil pessoas morrem no Brasil de doenças cardiovasculares e mais da metade dessas patologias são em virtude de pressão alta, de acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH).

Nos últimos 10 anos o Brasil apresentou crescimento nos números de pessoas que sofrem com a obesidade, um dos fatores agravantes da pressão alta. A pesquisa da Vigitel divulgada pelo Ministério da Saúde, indica aumento de 60% nos casos de obesidade entre 2006 e 2016. A incidência desta doença contribui diretamente nos diagnósticos de diabetes (61%) e de hipertensão (14%).

Quanto maior a idade, maior é a prevalência da hipertensão: cerca de 30% da população adulta brasileira, chegando a mais de 60% na terceira idade, segundo a SBH. A pressão alta é responsável ainda por 40% dos infartos e 80% dos acidentes vascular cerebral (AVC).

Normalmente a condição é associada a distúrbios metabólicos ou disfunções estruturais de algum órgão como os rins, coração e até o cérebro. “Tabagismo, sedentarismo, abuso de álcool, excesso de sal nos alimentos e obesidade são os principais fatores associados a causa da hipertensão”, ressalta Tiago Oliveira, membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia e médico cardiologista da Aliança Instituto de Oncologia.

Exercícios físicos

A prevenção e o controle da hipertensão através da prática de exercícios físicos é indicada para pessoas de todas as idades

No caso de Jaqueline Menezes, de 36 anos, o controle da pressão está totalmente associado a prática de atividades físicas. Por estar acima do peso, Jaqueline foi diagnosticada com grau 1 de obesidade. “Como minha mãe já faz acompanhamento médico com uso de medicamentos contínuos para pressão alta, eu me atentei e quis evitar essa e outras doenças mais sérias”, afirma. Fã de treinos de corrida e aula de spinning, confirma o bom resultado das atividades na rotina. “Além de controlar a pressão arterial, os exercícios alinhados a alimentação saudável aumentaram minha qualidade de vida, melhoraram meus níveis colesterol, e me permitiram evitar a cirurgia bariátrica”, comemora.

Logo após o exercício há uma queda natural da pressão arterial, como explica o personal trainer Talles Sucesso, da Bodytech Lago Sul. “Quando praticamos a atividade física a pressão arterial tende a subir agudamente, assim o nosso organismo entende que após o exercício ela deve baixar de forma aguda também, o que chamamos de hipotensão pós exercício”. O profissional explica que conforme acontece a repetição da prática de exercício, essa queda deixa de ser aguda e passa a ser crônica e, assim, a pressão vai se estabilizando naturalmente, diminuindo assim a quantidade de medicações e aumentando os benefícios para o organismo.