Imprensa Nacional completa 209 anos de atividade

Responsável pela edição dos primeiros livros brasileiros, do primeiro jornal e com registro até no Guinness Book (Livro dos Recordes), a Imprensa Nacional completa 209 anos, neste sábado (13).

Para celebrar a história da instituição, a Imprensa Nacional promove durante a semana uma programação comemorativa. Nesta segunda-feira (15), uma cerimônia em Brasília marca o aniversário com o lançamento da revista Imprensa Nacional, que trará artigos de reflexão sobre as recentes mudanças do analógico para o digital, e a assinatura da portaria que cria a Biblioteca Digital Machado de Assis, onde serão disponibilizadas obras raras e publicações históricas do órgão.

De acordo com o diretor-geral do órgão, Pedro Antônio Bertone Ataíde, a expectativa é de que, até o fim de setembro, o diário deixe de ser distribuído fisicamente, atendendo a demandas que vão desde a facilidade do uso de dispositivos eletrônicos à própria sustentabilidade. A publicação já chegou a ter 90 mil exemplares por dia e, atualmente, cerca de 6 mil cópias impressas são distribuídas em todo o País.

Há outros projetos em implementação, como o aprimoramento da versão online, que irá disponibilizar o conteúdo da publicação em formato de dados, facilitando a transparência. “Essa mudança vai permitir que o cidadão possa estruturar palavras-chave, montar tabelas e delimitar a pesquisa de uma maneira mais fácil”, disse.

História

Em 1808, ano de desembarque da família real no Brasil, o príncipe regente de Portugal, D. João, determinou a criação da então chamada Imprensa Régia, para registrar os atos do Império que colonizava parte da América. As primeiras máquinas tipográficas, inclusive, vieram da Europa na mesma frota da Família Real portuguesa.

De lá até os dias atuais, às histórias se soma o processo de modernização do principal produto da Imprensa Nacional, que é o Diário Oficial da União. Desde a primeira divulgação na internet, em 1997, o site publica diariamente milhares de páginas distribuídas em três diferentes seções.

A Gazeta do Rio de Janeiro, fundada em setembro de 1808, foi o primeiro jornal impresso no Brasil, utilizando os equipamentos da Imprensa Nacional, o que, consequentemente, deu início à imprensa brasileira. O periódico divulgava atos e diplomas legais, além de notícias originárias do exterior. As leis, decretos e demais normas continuaram sendo publicadas em outros veículos, até que em 1862 o governo decidiu criar o Diário Oficial, que não deixou mais de ser publicado.

A editora da Imprensa Nacional funcionou ininterruptamente até 2000. Dez anos depois, retomou a sua produção de livros, voltada exclusivamente a serviços gráficos de órgãos da Presidência da República.

Com 2112 páginas, a edição do Diário Oficial da União de 19 de dezembro de 1997 conquistou o título de jornal de formato tabloide com o maior número de páginas do mundo.