Volvo Cars apoia Maio Amarelo e destaca função City Safety em seus veículos

Recurso é capaz de frear o veículo para evitar um acidente em velocidades de até 50 km/h

A Volvo Cars é uma das empresas apoiadoras do movimento Maio Amarelo, que em 2017 está promovendo ações para conscientizar motoristas e motociclistas sobre a importância de suas atitudes no trânsito.Historicamente, a fabricante sueca redefiniu o conceito de segurança por suas inovações. Além de criar dispositivos como o cinto de segurança de três pontos e a cadeirinha infantil para o banco traseiro, a marca apresentou ao mercado o City Safety em 2008.
Trata-se de um recurso que atua como se fosse um copiloto. Ao detectar perigo à frente, ele trabalha para evitar ou reduzir colisões com o veículo da frente em velocidades reduzidas. Ao identificar falta de reação do motorista a uma possível batida, o sistema aciona imediatamente os freios até a parada total do veículo.Item de série em toda a gama de produtos comercializados no Brasil, o City Safety detecta pedestres parados ou em movimento na via. O recurso é capaz de identificar também ciclistas no caminho, emitindo um alerta para o motorista ou até mesmo freando o veículo, se essa ação se fizer necessária.
No utilitário esporte XC90, o sistema conta com visão noturna e auxilia o motorista no caso de alto risco de colisão com animais de grande porte, atuando com as mesmas características das situações anteriores: uma estratégia de alerta e de ajuda na frenagem para minimizar ou evitar o choque.
Esse equipamento de prevenção de acidentes é tão avançado que protege os passageiros de um dos mais comuns – e perigosos – tipos de colisão. Se o motorista está prestes a fazer uma conversão à frente de um carro e o City Safety detectar a colisão iminente, o sistema freia o carro com o objetivo de amenizar ou impedir o impacto.
A Volvo Cars desenvolveu o City Safety ao analisar por anos estudos sobre acidentes automotivos, e descobriu que 75% das colisões ocorriam em velocidades de até 30 km/h: em 50% dos choques traseiros, o motorista de trás não conseguia frear. Assim, se o motorista não acionar o pedal do freio em uma colisão iminente, o veículo freia sozinho em até 50 km/h para minimizar ou evitar o choque.