Carnaval de São Leopoldo reuniu 5 mil pessoas na Dom João Becker

Fotos: Charles Dias

O desfile das escolas de samba de São Leopoldo reuniu cerca de 5 mil pessoas que circularam na avenida Dom João Becker. A Império do Sol, do bairro São Miguel, foi a campeã; em segundo ficou a Estação Primeira de São Leo; em terceiro lugar ficou a Imperadores do Sul. Apesar da chuva intensa que começou pouco antes da entrada da terceira escola de samba na avenida e se estendeu por quase toda a madrugada, todas as agremiações se apresentaram e o resultado foi divulgado por volta das 6h de domingo.

Na abertura dos desfiles, o prefeito Ary Vanazzi, destacou o empenho da A Associação das Entidades Culturais, Recreativas e Carnavalescas de São Leopoldo (AECRCSL), através de sua presidente Eloísa Moraes, em buscar os recursos para produzir a festa. “Agradeço às escolas de samba por acreditar que era possível fazer o Carnaval em nossa cidade. As pessoas que estão aqui são o povo que vive a cultura popular. Uma noite de samba e alegria para nossa comunidade”, disse o prefeito. A Prefeitura de São Leopoldo não pagou cachês nem fez repasse financeiro ao Carnaval. A AECRCSL aprovou um projeto no Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet, tendo captado um R$ 55 mil reais, em incentivo fiscal, e R$ 30 mil em patrocínio direto. A Prefeitura deu suporte na infraestrutura, limpeza e segurança do evento.

O secretário municipal de Cultura e Turismo, Ismael Mendonça, lembrou que o Carnaval de São Leopoldo é um dos mais tradicionais do Estado. “Estamos retomando a cultura popular na cidade. O Carnaval envolve diversas pessoas, movimenta a economia e mostra a alegria do povo brasileiro”, frisou Mendonça. Sete escolas de samba passaram na avenida em desfiles cronometrados com tempo limite de 40 minutos. A ordem da classificação final foi: Império do Sol (1º), Estação Primeira de São Léo (2º), Imperadores do Sul (3º), Imperatriz Leopoldense (4º), Academia de Samba da Zona Norte (5º), Alambique (6º) e Acadêmicos do Rio Branco (7º). O corpo de jurados, de 10 integrantes divididos em dois setores, foi composto por carnavalescos de Porto Alegre e da região do Vale do Sinos.