Mulheres culpam estilo de vida pelos sinais e sintomas de distúrbios da tireoide, aponta pesquisa

Realizada em sete países, incluindo o Brasil, pesquisa procura entender o nível de consciência sobre as doenças da tireoide e seus sintomas.
Depressão, falta de motivação ou concentração, dificuldade de engravidar e irritabilidade não são reconhecidos pela maioria como um sintoma de distúrbio na tireoide.

Não é novidade a pressão que recai sobre as mulheres que, cada vez mais, acumulam funções em casa e no trabalho – como também é comum o sentimento de culpa quando algo não sai dentro do planejado ou foge ao seu alcance. Esse sintoma comportamental transborda também quando o assunto é saúde. É o que mostra uma pesquisa global encomendada pela Merck, empresa alemã líder em ciência e tecnologia, para entender melhor o nível de entendimento sobre as doenças da tireoide e seus sintomas.

Tendo como foco a Semana Internacional de Conscientização sobre a Tireoide 2017, que acontece de 22 a 27 de maio, a pesquisa ouviu seis mil mulheres em sete países, incluindo o Brasil. No geral, a maioria dos respondentes culpam suas escolhas de estilo de vida pelos sinais e sintomas de distúrbios da tireoide e os aceita como uma parte cotidiana do estilo de vida atual 24/7 (24 horas, sete dias por semana), além de desconhecerem os sintomas da doença.

Quase metade dos entrevistados afirmou que o fato de se sentir cansado/lento todos os dias (49%) ou sentir-se agitado e/ou com dificuldade para dormir (49%) poderia ser relacionado à suas próprias escolhas de estilo de vida. “É importante lembrar que se sentir cansado ou lento e sentir-se inquieto ou ter dificuldades para dormir pode ser um sinal de que a glândula tireoide não está funcionando corretamente. Esses distúrbios podem ser difíceis de reconhecer, porque a tireoide controla muitas funções diferentes do corpo”, alerta Dr. Laura Ward, médica endocrinologista e membro do corpo diretivo da SBEM.

Em outras palavras, quando a tireoide não está funcionando corretamente, pode levar a uma grande variedade de sintomas comuns que podem ter muitas causas possíveis, como por exemplo, ganho ou perda de peso, cansaço, irritabilidade, falta de concentração e dificuldade para dormir.

Outro ponto de atenção da pesquisa foi o fato de que quase ⅓ dos entrevistados não conseguiu explicar o que são os distúrbios da tireoide e que a maioria desconhece que uma glândula tireoide insuficiente é mais comum em mulheres do que em homens e que a ocorrência aumenta com a idade. “Aos 60 anos, até 17% das mulheres e 8% dos homens podem sofrer de hipotireoidismo”, explica. A pesquisa no Brasil também mostrou que a maioria associa sintomas como dificuldade para ganhar ou perder peso (81,4%), ou estar cansado ou lento (67,2%) com um distúrbio da tireoide, mas poucos estavam cientes de que os distúrbios da tireoide podem estar relacionado a outros sintomas, como a capacidade de concentração (34,9%) ou falta de interesse e dificuldade para se sentir motivado (43%), ansiedade e irritabilidade. Esses números embasam os resultados que concluem que 36% dos entrevistados no Brasil julgam o fato de sentir-se deprimidos, ansiosos e irritáveis como uma consequência de suas próprias escolhas de estilo de vida. “Sempre reforçamos que, caso esses sintomas estejam presentes na sua vida ou na de alguém que você conhece, procure o quanto antes um médico. Com o diagnóstico e o tratamento certo, toda essa sensação de desconforto pode diminuir rapidamente. Um exame de sangue simples pode verificar se a glândula tireoide está funcionando bem”, finaliza Dra. Laura Ward.