TI lidera ranking de empresas que mais realizaram fusões e aquisições no primeiro trimestre de 2017

Relatório da PwC Brasil mostra que setor é responsável por 21% dos investimentos realizados no Brasil entre janeiro e abril, um crescimento de 17% em relação ao ano passado

Abril terminou com queda no número de fusões e aquisições no Brasil, segundo relatório da PwC Brasil. Ocorreram 48 transações, número 13% menor que o registrado no mesmo período do ano passado, com 55 negociações. De janeiro a abril, houve 198 negociações, 22% abaixo da média de 254 transações entre 2010 e 2015 e 2% a menos que nos primeiros quatro meses de 2016.

O setor de Tecnologia da Informação (TI) representa 21% dos investimentos realizados em 2017, com 41 negócios – um crescimento de 17% em relação aos primeiros quatro meses de 2016. Em segundo lugar aparecem os serviços auxiliares, cujo crescimento é de 9% em relação a 2016. Os serviços públicos, com 15 transações, representam um crescimento de 275% em relação a 2016, quando houve apenas quatro transações – 8% do total.

A região Sudeste representa 70% nos negócios anunciados em 2017 (139 transações) até o mês de abril. No mesmo período do ano passado, ocorreram 129 transações. Foram anunciadas 31 transações no Sudeste e, em abril, redução de 11% em comparação a 2016, com 35. O estado de São Paulo aparece na frente, com 55% das negociações concretizadas, sendo 108 no total. Em 2016, foram 100 transações, sendo 90 na capital paulista. Na região Sul houve 26 negociações, número 13% inferior ao mesmo período de 2016 (30 transações). Transações com empresas estrangeiras representam 6% do total, com 12 negócios. Em 2016, foram anunciadas 18 transações.

Até abril, os investidores nacionais posicionam-se à frente dos investimentos realizados no Brasil, com 55% de participação nas negociações, crescimento de 2% quando comparado ao mesmo período de 2016. Com 82 transações realizadas até abril, os investidores estrangeiros tiveram uma redução nas participações – de 11% em relação ao mesmo período de 2016 (92 negociações).

De janeiro a abril, foram anunciadas 82 transações envolvendo capital estrangeiro, redução de 15% em comparação ao mesmo período do ano anterior (2016 – 97 transações). Somente no mês de abril foram 20 transações realizadas por capital estrangeiro, redução de 33% em comparação ao mesmo período de 2016 (30 transações). Os Estados Unidos lideram com 33% do total (27 negociações), uma redução de 13% comparado ao ano anterior (2016 – 31 transações), seguido pela França, com 10%, e Alemanha, com 5%.