Gigante do varejo americano Sears revela como seleciona fornecedores

Bruna Fell falou aos associados do Sindmóveis dia 11 de maio

A gigante varejista norte-americana Sears, com mais de 194 mil funcionários e 130 anos de fundação, está buscando ampliar sua rede de fornecedores brasileiros, hoje limitada aos calçados da Grendene e toalhas da Karsten. A rede, que vende desde casas pré-fabricadas até pneus, roupas e móveis, tem uma política rígida de avaliação de seus parceiros, revelada a associados do Sindmóveis na última quinta-feira pela gerente global de compras Bruna Fell.

A Sears busca permanentemente produtos novos para atender sua gigantesca demanda, que venham com inteligência de mercado agregada, expertise no segmento e que resultem em parcerias estratégicas, melhorando a velocidade da Sears para o mercado e reduzindo o gerenciamento de estoque. Em alguns casos de grandes parcerias, a Sears pede a seus fornecedores uma planilha aberta de custos no intuito de ajudar a fornecedores a reduzir o custo final do produto por meio do gerenciamento dos insumos.

Sobretudo, conforme Bruna, a Sears só trabalha com marcas boas, que protejam a reputação da Sears. Para isso, tem várias exigências em termos de qualidade, verificando, inclusive, se os parceiros pagam todos os impostos e se respeitam as leis ambientais e trabalhistas. Segundo ela, a América do Sul é um foco de oportunidades para a Sears, especialmente o segmento brasileiro de mobiliário, com quem a empresa ainda não tem parcerias consolidadas.

Além disso, a potência varejista exige entrega no prazo e corretamente sempre.
“Em geral, os compradores buscam muita referência, o que pode dificultar para empresas que ainda não vendem aos EUA. Isso porque precisamos nos cercar de garantias de capacidade produtiva e entrega do produto. Entrar como fornecedor da Sears pode ser um processo demorado, mas quando a parceria se consolida, geralmente é muito longeva”, aponta.

O encontro da gerente global de compras da Sears com empresas moveleiras de Bento Gonçalves e agentes de exportação faz parte do programa do Sindmóveis de fomento às exportações da indústria moveleira local aos Estados Unidos. Esse projeto está sendo oferecido a empresas associadas que tenham perfil de produto para o mercado norte-americano e está iniciando neste ano, com previsão de desenvolvimento pelos próximos três anos.

 

Exigências básicas para o mercado dos EUA

Em um exercício de maturidade para as exportações aos EUA, a gerente global de compras da Sears, Bruna Fell, trouxe um checklist às empresas que pretendem iniciar negociações no mercado norte-americano.

– Ter um gerente de exportação que fale inglês com fluência

– Ter um perfil atualizado da empresa em inglês

– Ter um bom catálogo em inglês

– Fornecer as medidas dos produtos em inches

– Fornecer o preço em dólar

– Ter uma planilha completa de cotações

– Retornar com respostas a demandas do comprador em, no máximo, 24 horas

– Garantir amostras corretas e de qualidade, etiquetadas corretamente

– Buscar informações básicas no Vendor Manual Guides (nesse caso, especificamente para fornecedores em negociação com a Sears).