Juros do rotativo caem ao nível mais baixo em 18 meses

Após mudanças feitas pelo governo, os juros rotativos do cartão de crédito ficaram mais baratos

Dados divulgados pelo Banco Central revelam que taxa de juros do rotativo do cartão de crédito teve queda substancial em abril

Em meio a um cenário de queda da inflação e dos juros estruturais da economia, o consumidor brasileiro tem mais um motivo para comemorar. Após um mês das alterações nas regras do cartão de crédito, os juros do rotativo caíram de 490,3% ao ano para 422,5%. Uma queda substancial de 67,8 pontos percentuais no mês de abril.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (25) pelo Banco Central e marcam a menor taxa para os juros rotativos desde outubro de 2015.

Em janeiro, o governo federal mudou as regras de funcionamento no cartão de crédito como forma de combater a inadimplência das famílias e os juros cobrados dos consumidores de cartão de crédito. As mudanças foram regulamentadas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Com essas novas regras, o rotativo do cartão de crédito, conhecido também como pagamento mínimo da fatura, passa a ter um prazo. Assim, o consumidor que optar por quitar a conta apenas parcialmente poderá ficar nessa modalidade por 30 dias. Depois desse prazo, a conta poderá ser quitada ou parcelada seguindo as taxas padrão de financiamento.

Para os clientes regulares, aqueles que pagam ao menos o pagamento mínimo da fatura, a taxa de juros do rotativo caiu de 431,1% ao ano para 296,1% ao ano em abril. A taxa de juros para clientes que não pagam a fatura ainda são alta, mas caíram de 528,7% ao ano para 524,% ao ano em abril.

Queda geral

De acordo com os dados do Banco Central, a taxa média de juros das operações de crédito recuou 1,9 ponto percentual em abril e 2,4 pontos percentuais nos últimos 12 meses, alcançando 30,2% ao ano em abril.

Não só a taxa média de juros caiu, mas o custo médio das operações também ficou mais barato para as famílias. A taxa caiu 2,7 pontos percentuais no mês e 3,1 pontos percentuais nos últimos 12 meses, ficando em 38,7% ao ano. No segmento livre, a taxa decresceu 0,8 ponto percentual no mês, com destaque para redução do custo das operações de empréstimo pessoal e no cartão rotativo não regular.

No caso das empresas, a taxa média de juros recuou 0,8 ponto percentual no mês, acentuando uma queda de 2,8 pontos percentuais nos últimos 12 meses.

Um dos principais termômetros do mercado de crédito, o Spread médio – a diferença entre o que o banco paga ao tomar o empréstimo e a taxa que ele oferece na operação de crédito – das operações também caiu, com uma redução de 1,5 ponto percentual no mês e de 0,2 ponto percentual nos últimos 12 meses.