Prevenção ao câncer de boca realiza 150 exames

Entre os 150 examinados, 54 foram encaminhados para uma avaliação mais detalhada – Foto: De Zotti

O sábado, 27, de muita chuva não foi empecilho para que 150 pessoas comparecessem ao Espaço Cultural Albano Hartz, no Calçadão Oswaldo Cruz, e aproveitassem os exames gratuitos proporcionados durante a 20ª Campanha de Prevenção ao Câncer de Boca – Abra a boca! Examine e previna!. A iniciativa, realizada pela Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Novo Hamburgo, com apoio da Liga Feminina de Combate ao Câncer (LFCC) e da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, mobilizou médicos, professores, alunos de graduação e pós-graduação, além de outros profissionais que dedicaram várias horas para o atendimento à comunidade. Entre os 150 examinados, 54 foram encaminhados para uma avaliação mais detalhada.

De acordo com o secretário de Saúde do município, Dr. Antônio Fagan, atividades como esta têm a capacidade de salvar vidas. “A importância deste evento simplifica a questão da solidariedade. É uma questão de amor ao próximo, com o poder de modificar as pessoas. Talvez tenhamos evitado a perda de uma vida. Hoje, todo mundo já faz muita coisa. Precisamos, agora, é fazer diferente, fazer um pouco mais, colocando afeto, amor, solidariedade. Este é o diferencial. Quanto mais pudermos prevenir, menos vamos gastar no futuro com tratamentos de saúde. Com relação à gestão pública, a prevenção é fundamental”, afirmou.

A coordenadora de Saúde Bucal, Maria Elena Gageiro Soares, destacou os 20 anos da campanha. “Esta parceria com a LFCC e com a Faculdade de Odontologia é possível porque temos um único objetivo, que é promover a saúde e prevenir as doenças. Fomos pioneiros neste tipo de evento e agora temos o Maio Vermelho, onde esta ação é realizada em todo o Estado. Hoje, no caso de necessidade, os pacientes são encaminhados para tratamento no próprio município e não precisam mais ir a Porto Alegre, como acontecia anteriormente”, ressaltou.

Na avaliação do representante do Conselho Regional de Odontologia do Rio Grande do Sul, Marcio Redmann, que prestigiou o evento ao lado do vice-presidente José Maria Holderbaum, a campanha realizada em Novo Hamburgo é um modelo a ser seguido. “Esta é uma patologia grave, silenciosa e onde praticamente não existe a prevenção, especialmente na saúde pública. Por isto apoiamos totalmente esta iniciativa para que se desenvolva cada vez mais”.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, a doença está entre os dez tumores mais frequentes entre a população brasileira, tendo maior incidência n Sul do País. Merecem atenção redobrada as feridas na boca que não cicatrizam há mais de duas semanas, manchas, placas vermelhas ou esbranquiçadas e sangramentos bucais sem causa conhecida. Assim, ao perceber um ou mais sinais de alerta, é preciso buscar atendimento com profissionais dentistas ou médicos, pois a patologia é de fácil diagnóstico. A maior parte dos casos de câncer de boca são do tipo Carcinoma Espinocelular, um tumor maligno. No entanto, quanto mais cedo se buscar tratamento, maiores são as chances de cura.