Italac anuncia investimento de R$ 117 milhões no RS

Durante a visita do governador José Ivo Sartori à fábrica da Italac de Passo Fundo, o presidente da empresa Cláudio Teixeira anunciou investimento de R$ 117 milhões nas quatro unidades do Rio Grande do Sul. Dani Barcellos/Palácio Piratini

A empresa Goiasminas, detentora da marca Italac, investirá R$ 117 milhões nas duas fábricas e nos dois postos de captação que operam no Rio Grande do Sul. Desde total, R$ 75 milhões serão destinados à ampliação da unidade de Passo Fundo, que passará a produzir leite condensado. O recurso será aplicado na construção de novos pavilhões e na aquisição de máquinas e equipamentos para aumentar a produção. O anúncio foi feito pelo presidente da Italac, Cláudio Teixeira, em ato na fábrica passo-fundense, na manhã desta segunda-feira (29).
“Os investimentos anunciados hoje são resultado de um círculo virtuoso: decisão, planejamento, ação, caminho para o desenvolvimento social e econômico da região e do Estado. É prova de confiança no Rio Grande do Sul. Mesmo num cenário com incertezas, o estado segue atraindo investimentos que geram emprego, renda e impulsionam o crescimento no campo e na cidade. É disso que precisamos cada vez mais: de gente que constrói o Rio Grande que dá certo”, saudou o governador José Ivo Sartori.
Teixeira disse que o investimento servirá para modernizar todos os equipamentos da base para ampliar a produção. “Passo Fundo passará a produzir leite condensado, somando-se à produção de Tapejara. Com a ampliação, dobrará a capacidade produtiva no Rio Grande Sul”, afirmou. O presidente do grupo informou ainda que 30% da produção da Italac sai do RS. “Não vamos parar de investir no estado. Hoje, a Italac também é uma empresa gaúcha”.

Incentivos
Em março de 2016, o governo do Estado concedeu crédito presumido (Decreto nº 52.955/16) para melhorar a competitividade do leite condensado produzido no Rio Grande do Sul, beneficiando empresas que fabricam o produto. A medida gerou aumento de demanda devido ao ganho de competitividade do produto gaúcho no mercado nacional.
Todas as unidades gaúchas da empresa receberam investimentos: os dois postos de captação de leite (Crissiumal e Giruá) e as unidades fabris de Passo Fundo e Tapejara.

O projeto de ampliação foi conduzido desde o início pela Sala do Investidor da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sdect) e irá receber o benefício do Fundopem/Integrar. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Márcio Biolchi, afirmou que este é o resultado de “uma política de incetivos fiscais equilibrada. Há dez anos, o estado importava leite condensado. Hoje a balança está equilibrada e tivemos aumento da receita no setor”.
Emprego e renda

A conclusão da ampliação está prevista para setembro deste ano e deve gerar 100 empregos diretos. Estes postos vão se somar aos 800 empregos diretos gerados pela Italac. Atualmente, cerca de dois mil pequenos produtores fornecem leite à empresa.
O prefeito de Passo Fundo, Luciano Azevedo, saudou o investimento e a geração de novos postos de trabalho no município. “Anunciar um investimento deste porte em um momento de incerteza é declarar o compromisso com o futuro da cidade e da região”, comemorou.
Após o anúncio, Teixeira e Sartori fizeram uma visita técnica à fábrica.
Com 23 anos, a Italac é uma empresa 100% nacional. É uma das principais indústrias do setor lácteo do país. Seus produtos chegam a mais de 20 mil pontos de vendas, entre varejistas, atacadistas e distribuidores. Possui fábricas e postos de captação nos estados de Goiás, Rondônia, Pará, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.
Em 2009, a Italac inaugurou a unidade de Passo Fundo com capacidade instalada para um milhão de litros/dia. E com a ampliação anunciada nesta segunda, passará para 1,4 milhão de litros/dia. Em 2014, assumiu a planta de Tapejara, com capacidade instalada para 1,3 milhão de litros/dia.