Leilão de obras valiosas sinaliza retomada do mercado de arte

Alfredo Volpi – Bandeirinhas com Mastro

Em meio a incerteza política e claros indícios de recuperação da economia brasileira, o leiloeiro Aloisio Cravo, responsável pela realização do grande leilão da Massa Falida do Banco Santos no final do ano passado, realizará no dia 13 de junho seu próximo leilão de arte.

O conjunto reunido demonstra vigor e sinaliza um bom momento de aquisição para colecionadores. “Penso ser o melhor conjunto que reuni nos últimos anos” diz Aloisio Cravo. Com 104 lotes que representam um total avaliado um pouco acima de 12 milhões de reais, destaques não faltam.

Os modernos são muito bem representados por obras de José Pancetti, como “A Lagoa Serena”, Iberê Camargo, Alfredo Volpi, Ubi Bava e uma seleção única de Mira Schendel. Os contemporâneos conquistam seu espaço tanto internacionalmente com obras de Olafur Eliasson e Helena Almeida, como com grandes artistas brasileiros como Sandra Cinto, Rosângela Rennó, Vik Muniz, Henrique Oliveira e Paulo Monteiro. O design, por fim, traz um toque especial ao leilão com nomes como Sérgio Rodrigues, Carlo Hauner, Zanine e Irmãos Campana.

No ano passado, em meio as turbulências políticas enfrentadas, colecionadores se retraíram e se mostraram sensíveis apenas a grandes oportunidades, como ficou claro no sucesso do leilão da coleção do Banco Santos. É dentro desse contexto que, com uma seleção plural de alta qualidade, o leilão de Cravo sinaliza um bom momento e pode se materializar como o início de uma retomada para o mercado de arte em 2017.

O evento acontecerá no Hotel Unique (Av. Brig. Luis Antônio, 4700 – São Paulo), em São Paulo, no dia 13 de junho às 19h. Os lotes podem ser apreciados no site do leiloeiro (http://www.iarremate.com/aloisio-cravo/003) e na exposição que acontece do dia 8 à 12 de junho (Rua Groenlândia, 1897 – São Paulo).