Prefeitura de São Leopoldo reinaugura entreposto

Na próxima segunda-feira, dia 5 de junho, às 14h, a Prefeitura de São Leopoldo reinaugura o Entreposto de Resíduos Extradomiciliares para pequenos geradores, no bairro Scharlau (rua Leopoldo Albino Scherer, 430).

O local interditado desde janeiro pela Prefeitura operava sem licença ambiental e sem plano de manejo e operação dos materiais depositados, gerando um volume com mais de três mil toneladas de resíduos. A primeira etapa para obter o licenciamento, custou ao município R$ 195 mil, investidos em limpeza, remoção e destinação dos resíduos do entreposto.

De acordo com o secretário do Meio Ambiente, Darci Zanini, a abertura do entreposto na Scharlau é o primeiro passo para reorganizar o serviço voltado para o resíduo extradomiciliar. “Em 2009, o município tinha cinco entrepostos licenciados, funcionando em diferentes regiões da cidade. Queremos voltar a este padrão”, afirmou.

A partir de segunda-feira, 5, a comunidade poderá utilizar o espaço para destinação dos resíduos extradomiciliares. O local receberá volumes de até um metro cúbico dos pequenos geradores, como restos de construção e demolição, restos de podas, pneus e móveis. O material será recebido e separado em baias para ter a destinação adequada como reciclagem, reaproveitamento do que estiver em condições de uso e aterros.

O horário de atendimento será das 8h às 17h.

Nas fotos de  Charles Dias o Entreposto de Resíduos antes e depois da interdição

Entenda o caso

– No dia 9 de janeiro o entreposto foi interditado pelo prefeito Ary Vanazzi e pelo secretário do Meio Ambiente, Darci Zanini, por não possuir licença ambiental, violando os artigos 445, inciso XI, 432 e 497 da Lei Municipal 6463/207. Na época foram constatadas irregularidades no manuseio e operação das atividades, gerando um grande volume de resíduos.

– Em 10 de janeiro São Leopoldo decreta situação de emergência ambiental e sanitária. O decreto teve como finalidade autorizar o município a providenciar a imediata remoção dos resíduos. A determinação foi feita precedendo a instauração de uma sindicância para identificar e responsabilizar, junto ao Ministério Público, os autores das irregularidades ambientais e sanitárias apontadas.

– No dia 21 de fevereiro, a Prefeitura inicia a retirada do lixo acumulado no local. A medida foi a primeira etapa para obter a licença ambiental necessária para transformar o local em um ecoponto de coleta de resíduos extradomiciliares.

– Em 3 de março a Prefeitura completa a limpeza, depois de 11 dias de trabalho. A diretoria de Limpeza Urbana retirou do local mais de 3.160m³ de entulho, caliça, madeira, podas, entre outros resíduos. Foram necessárias 158 viagens em caminhões com capacidade média de 20m³ para limpar o terreno e destinar adequadamente todos os resíduos que estavam depositados irregularmente naquela área.

– Os resíduos foram removidos para uma Central de Triagem licenciada no município de Canoas. O contrato total para a limpeza e remoção dos entulhos do entreposto foi de R$ 195 mil.