Vacina contra HPV disponível para adolescentes

Meninas de 9 a 12 anos e meninos de 12 e 13 anos devem procurar os postos de saúde da rede municipal para se imunizar contra o vírus do Papiloma Vírus Humano (HPV). A medida faz parte da política de prevenção adotada pela gestão. Pela primeira vez  os meninos foram incluídos no grupo alvo. Nos homens, a vacina protege contra câncer de pênis, garganta, ânus e verrugas genitais.

De acordo com o esquema vacinal, após a primeira dose deverá ser feita a segunda em seis meses. O procedimento é feito por meio intramuscular. “É importante os responsáveis levarem os adolescentes para a vacinação. Com isso eliminamos os riscos de câncer no útero em até 80%, além de outras doenças genitais”, informa o secretário de Saúde Fábio Bernardo da Silva.

O secretário pede para que as instituições de ensino auxiliem na conscientização. “Somos parceiros das escolas e nos colocamos técnicos da secretaria à disposição para visitar as escolas”, reforça.

Sobre o HPV

O HPV é um grupo de vírus que causa lesões precursoras de câncer, principalmente o câncer de colo de útero. Os tipos virais oncogênicos mais comuns são HPV 16 e 18, responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero, enquanto os HPV 6 e 11 estão associados a até 90% das lesões anogenitais.

A principal forma de transmissão do HPV é por via sexual, que inclui contato oral-genital, genital-genital ou mesmo manual-genital. Estima-se que entre 25% e 50% da população feminina e 50% da população masculina mundial esteja infectada pelo HPV.

O Ministério da Saúde adotou a vacina quadrivalente contra HPV que confere proteção contra HPV de baixo risco (HPV 6 e 11) e de alto risco (HPV 16 e 18). Essa vacina previne infecções pelos tipos virais presentes na vacina e, consequentemente, o câncer do colo do útero e reduz a carga da doença. Tem maior evidência de proteção e indicação para pessoas que nunca tiveram contato com o vírus.