Corpus Christi: vínculo de comunhão

Por Pe. Felipe Tarcísio Guerra Staudt/Paróquia São José de Anchieta SL

Foto: Pe. Fábio Luís Galle / Pascom da Diocese de NH

Neste ano, o Corpus Christi será celebrado no dia 15 de junho. Em São Leopoldo, Novo Hamburgo, Sapiranga, Dois Irmãos, Taquara e Gramado, assim como em outras cidades, é feriado. Para muitos, trata-se de uma data somente de descanso, passeio ou ócio. Para nós, católicos, é um dia santo, festivo, de alegria e de comemoração.

Na celebração de Corpus Christi, comemoramos o Senhor presente entre nós com toda a Igreja: festejamo-lo com os cristãos do mundo todo, não importando raça, língua ou país. Alegramo-nos com toda a corte celestial, com os anjos e santos, e também com as almas do purgatório. Por fim, unimo-nos e celebramos, com toda a Igreja peregrina, perpetuando o que se faz desde a ressurreição do Senhor: adorar a Jesus Sacramentado, presente em Corpo, Sangue, Alma e Divindade.
Sendo assim, nossa festa não se reduz a uns fiéis participantes aqui e acolá, mas rompe o tempo presente, o fluxo da história, o trânsito entre o céu e a terra, unindo cada fiel do Corpo Místico de Cristo a um vínculo de comunhão. O presente, o passado e o eterno se encontram no Corpo de Nosso Senhor. Aos cristãos do futuro, caberá participar dessa festa com os seus e com os que lhes precederam, todos vinculados a Cristo. Essa é a nossa esperança.
Essa universalidade do Corpo de Jesus a que pertencemos, impõe-nos uma responsabilidade: como irmãos de Jesus e seus cooperadores, somos missionários perante todos, povos, línguas, raças e nações. Isso quer dizer que devemos perpetuar a festa de Corpus Christi, para que a cada nova geração esse vínculo de comunhão não se dissolva. O presente, o passado e o eterno estão vinculados ao Corpo de Deus. Cabe-nos celebrar, festejar e participar para perpetuar o memorial do Senhor.
A missa celebrada a cada ano no Corpus Christi e a bela procissão conduzida pelas ruas de nossas cidades têm a finalidade de lembrar aos batizados que somente o Corpo de Nosso Senhor é quem nos une realmente. Só Jesus tem o poder de atrair todos.
Infelizmente, quando os católicos se afastam do Santíssimo Corpo de Deus, perdem o maravilhoso vínculo de comunhão com Deus em Cristo e com todos os irmãos. Também descumprem a ordem de levar a Boa Notícia de que Deus está presente no meio de nós.
Segundo dados do censo de 2010, 65,9% dos moradores de São Leopoldo são católicos. Dos 141.117 católicos, com otimismo, somente de 6% a 7% (entre 8.400 e 9.900) participam das missas das paróquias e capelas.
E em 2017, como estamos? Não sabemos bem, apenas que poucos querem festejar, alegrar-se e comemorar o Corpo do Senhor.
Compete a nós, sacerdotes e fiéis, esforçarmo-nos para que Aquele que verdadeiramente une no Eterno Amor de Deus não seja esquecido nem desprezado.