Os finalistas do 4º Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel

Projeto localizado em Passo Fundo, Rio Grande do Sul, está entre os 10 finalistas

Entre os 186 projetos inscritos provenientes de 12 estados brasileiros e Distrito Federal, o Instituto Tomie Ohtake e a AkzoNobel anunciam os dez selecionados pelo júri do 4º Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel, composto pelos arquitetos Carla Juaçaba, Gustavo Penna, Nabil Bonduki e Priscyla Gomes. Em 2017, registrou-se um aumento de 56% no volume de inscrições em relação à edição anterior. Entre os finalistas há obras localizadas em São Paulo, Santa Catarina, Tocantins, Distrito Federal, Rio Grande do Sul e Cidade do México.

Projetos finalistas:

Casa 4×30, São Paulo – SP – arquiteto responsável Clara Reynaldo – CR2 Arquitetura + FGMF Arquitetos
Casa Torreão, Brasília – DF – arquiteto responsável Matheus Seco – Bloco Arquitetos
Ciclovia Avenida Paulista, São Paulo – SP – arquiteto responsável Gianpaolo Santoro Granato – Studio GGA
Cobertura Mercado Público de Florianópolis, Florianópolis – SC – arquiteto responsável Gustavo Utrabo – Aleph Zero
 Instituto Brincante, São Paulo –SP – arquiteto responsável Dante Furlan – Bernardes Arquitetura
Mirante 9 de Julho, São Paulo – SP – arquiteto responsável Marcos Paulo Caldeira –MM18
Moradas Infantis, Formoso do Araguaia – TO – arquiteto responsável Adriana Benguela – Rosenbaum + Aleph Zero
Parque da Gare, Passo Fundo – RS – arquiteto responsável Pedro Paes Lira – Idom
Subsolanus, Cidade do México DF – México – arquiteto responsável Henrique te Winkel – Vão
Vazio, São Paulo – SP – arquiteto responsável Marina Acayaba – AR arquitetos

Esses dez projetos, que serão reunidos também em publicação, participam de uma exposição, com entrada gratuita, na sede do Instituto Tomie Ohtake, de 10 de agosto a 17 de setembro de 2017. Na abertura do evento, dia 10 de agosto, serão anunciados os premiados. Os arquitetos responsáveis pelos três projetos considerados de maior destaque serão contemplados com viagens internacionais: Xangai/China, Helsinque/Finlândia e Havana/Cuba.

Uma mostra de filmes sobre arquitetura, projetada na fachada do edifício que abriga o Instituto Tomie Ohtake, faz parte da programação paralela ao Prêmio, assim como ações educativas para o público jovem que têm por objetivo promover uma discussão sobre a relação das pessoas com a arquitetura e o urbanismo nos espaços que habitam.

O Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel é destinado exclusivamente a arquitetos brasileiros ou estrangeiros que vivam no Brasil há pelo menos dois anos, com até 45 anos de idade, e projetos construídos durante os últimos dez anos. Arquitetos, escritórios de arquitetura ou coletivos de arquitetos podem se inscrever com mais de um projeto, o que contribui para demonstrar um panorama da arquitetura brasileira nos seus mais variados contextos.

A premiação é resultado de uma parceria entre o Instituto Tomie Ohtake e a AkzoNobel, multinacional holandesa que atua nos segmentos de tintas, revestimentos e especialidades químicas e se insere nas perspectivas do Instituto, enquanto instituição cultural, ao promover iniciativas no campo da arquitetura, do urbanismo e do design.