Alunos da Feevale apresentam projetos para o Espaço Albano Hartz

Ao todo, foram cinco projetos apresentados, envolvendo ações de pesquisa de informações, busca de referências culturais, estudo da cultura local e enquetes com internautas – Foto: Kauê Mallmann

Tornar o Espaço Cultural Albano Hartz e o Calçadão Osvaldo Cruz espaços pulsantes de arte e cultura. Esse foi o desafio feito pela professora Me. Carolina Rigo, da cadeira de Economia Criativa, da Universidade Feevale, em parceria com a Secretaria de Cultura (SECULT) de Novo Hamburgo. Na noite de quinta-feira, dia 8, eles apresentaram suas propostas, desenvolvidas ao longo do semestre, à equipe da SECULT.

Antes de desenvolverem os trabalhos, os alunos participaram de um bate-papo com representantes de diversos coletivos da cidade. Eles tiveram a oportunidade de compreender a realização de eventos culturais realizados através da gestão compartilhada. Em um segundo momento, a coordenadora de Projetos Socioculturais, Andrea Pavani, e o assessor de imprensa, Kauê Mallmann, realizaram uma apresentação sobre o Albano Hartz, detalhando os espaços físicos do local, os projetos em andamento e os objetivos da Secretaria para o Espaço.

Na noite da apresentação, o secretário de Cultura, Ralfe Cardoso, também participou da avaliação dos projetos. Em seguida, houve um momento de conversa com os alunos, onde ele relatou o trabalho da Secretaria, as dificuldades encontradas, e falou do pensamento “fora da caixa” que os alunos devem ter. “Todos os trabalhos tiveram pontos muito criativos. É esse pensamento externo que buscamos. Claro que algumas ideias são viáveis, outras não. Mas o fato de eles terem se dedicado ao pensamento criativo, criando alternativas para um espaço da sua cidade, é algo que já nos motiva muito”, falou Ralfe.

Ao todo, foram cinco projetos apresentados, envolvendo ações de pesquisa de informações, busca de referências culturais, estudo da cultura local, enquetes com internautas, entre outros. Tudo isso resultou na criação de uma série de ações, intervenções artísticas, atividades culturais e eventos que envolvam os hamburguenses e criem um vínculo com o Espaço. “Algumas dessas ideias podem ser aplicadas. Cada grupo teve algum ponto que pode virar realidade”, destacou Ralfe. Ele ainda desafiou os alunos a se reunirem novamente para discutir os projetos. “Vocês podem criar um coletivo para pensar coisas novas para a cidade”, desafiou.

A professora Carolina Rigo destacou a dedicação dos alunos. “Os trabalhos demonstraram o engajamento dos alunos e a vontade de desenvolver propostas realmente criativas”, ponderou.