Portos do Rio Grande do Sul têm movimento expressivo

A madeira faz parte do segmento de carga geral – Foto: Natália Quintas/Suprg

A análise dos dados estatísticos do mês de maio de 2017 feita pela Superintendência do Porto do Rio Grande (Suprg) concluiu que, nos cinco primeiros meses do ano, apenas o porto em Rio Grande movimentou mais de 15,9 milhões de toneladas, destaque para a carga geral, com um crescimento de 5%, comparado ao mesmo período do ano passado. Porto Alegre e Pelotas também registraram aumento.

O segmento de carga geral pela primeira vez registrou movimento bruto superior a um milhão de toneladas em um único mês. A marca de maio foi recorde para o complexo portuário e vem impulsionado por produtos como celulose, toras de madeira, fumo e produtos químicos. “O principal produto do Porto do Rio Grande é o grão de soja e depois outros elementos do campo gaúcho. Esse formato é uma característica do nosso estado. Com determinação, seguindo as orientações do secretário Pedro Westphalen, do secretário Fábio Branco e do governador José Ivo Sartori buscamos dinamizar as cargas no porto e atrair novos produtos e investimentos. O resultado está chegando nos números que se apresentam”, avaliou o diretor superintendente do Porto do Rio Grande, Janir Branco.

O segmento de carga geral movimentou apenas em maio 1.013.485 toneladas, acumulando 4.277.036 toneladas, em 2017 . O granel sólido acumula 9.796.316 toneladas, enquanto os líquidos somam 1.884.434 toneladas, nos cinco meses do ano. A movimentação total do complexo chega a 15.957.786 toneladas, crescimento de 5,8% em relação ao mesmo período de 2016. O complexo soja (óleo, farelo e grão) acumula crescimento de 8,5%, ultrapassando a marca 5,7 milhões de toneladas.

Pelotas e Porto Alegre

Os portos de Pelotas e Porto Alegre também têm registrado uma grande movimentação no ano de 2017. O porto da capital teve alta de 31,6% em sua movimentação, chegando a 338.545 toneladas. Já o Porto de Pelotas ultrapassou toda a movimentação de 2016 em apenas cinco meses. O porto pelotense já registra 321.774 toneladas, são 43 mil toneladas a mais do que todo o ano passado.