7º Encontro de Gestores Pedagógicos discutiu novo Ensino Médio

Evento reuniu mais de 200 gestores e coordenadores pedagógicos do ensino privado

Evento ocorreu no Hotel Continental, em Porto Alegre. Foto: Hermes Moura – SINEPE/RS

Na terça-feira, 13/06, o SINEPE/RS promoveu o 7º Encontro de Gestores Pedagógicos para discutir o novo Ensino Médio. O evento reuniu mais de 200 gestores e coordenadores pedagógicos de escolas particulares do Estado no Hotel Continental, em Porto Alegre. A programação contou com palestras do coordenador-geral de Ensino Médio do Ministério da Educação (MEC), Wisley João Pereira e do conselheiro do Conselho Nacional de Educação (CNE), Antonio Carbonari Netto.

A programação foi aberta com fala do presidente do Conselho Estadual de Educação (CEEd/RS), Domingos Antônio Buffon, sobre como a entidade está tratando do assunto. Ele informou que no segundo semestre o CEEd/RS irá promover audiências públicas na Capital e interior para debater o tema. “Os espaços para troca de ideias, como este que o SINEPE/RS está promovendo, é muito importante para debatermos a proposta e encontrarmos o melhor caminho”, salientou.

Na segunda parte da manhã, o conselheiro do Conselho Nacional de Educação, Antonio Carbonari Netto, falou sobre os limites e as possibilidades da BNCC na Educação Básica. Ele antecipou que a BNCC do Ensino Fundamental está praticamente pronta, mas que o documento que vai regrar o Ensino Médio ainda não foi enviado pelo MEC ao CNE e que deve sofrer modificações. “A carga horária deve ser 50% de currículo comum e 50% de parte diversificada”, antecipou. Ele defendeu que o papel do novo Ensino Médio é de prospectar profissões e direcionar para uma carreira. “É impossível manter o sistema de ensino que temos hoje, estamos produzindo profissionais “para ontem””, alertou. Ele também defendeu a autonomia das escolas. “A BNCC não pode cercear o que as escolas devem ensinar. Espero que os conselhos estaduais de educação deem a liberdade para as escolas de mudarem a proposta de acordo com a realidade do mercado”, defendeu.
A programação da tarde iniciou com fala do secretário estadual de Educação, Ronald Krummenauer. Ele salientou a importância de parcerias público-privadas para encontrar saídas para melhorar a qualidade do ensino.

Na sequência o coordenador-geral de Ensino Médio do MEC, Wisley João Pereira, explicou como serão as mudanças do novo Ensino Médio. Ele iniciou sua fala salientando os problemas do atual modelo de Ensino Médio, como evasão escolar e um modelo focado na preparação para o Enem, não para gerar conhecimento e aprendizado. “É preciso dar uma outra arquitetura e não formar somente para o vestibular. Precisamos aproveitar a capacidade de aprendizagem da adolescência”, destacou. O coordenador reconhece que os jovens são imaturos para escolher os itinerários formativos, mas ele acredita que isso segue até a universidade. “Nós não emancipamos nossos alunos a fazer escolhas. Eles devem aprender a identificar suas habilidades e competências e adquirir autonomia para fazer suas escolhas a partir do seu projeto de vida”, pontou.