Governo detecta fraudes no pagamento do seguro-desemprego

Operação liderada pelo Ministério do Trabalho identificou fraudes no pagamento do benefício social no setor de transporte de cargas

Segundo pasta, irregularidades impactaram negativamente as contas da Previdência Social Antonio Cruz/Agência Brasil

O Ministério do Trabalho identificou uma série de irregularidades no pagamento do seguro-desemprego no setor de transporte de cargas. Entre abril e maio, auditores da pasta identificaram 2.180 motoristas trabalhando na informalidade, sem carteira de trabalho, sendo que 31% deles recebiam o benefício social mesmo trabalhando.

Entre os locais com maior número de irregularidades estão os estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia, Rondônia, Goiás e Mato Grosso. A operação, que contou com mais de 330 ações fiscais, registrou 600 autos de infração em todo o País e as multas podem chegar a R$ 6 milhões.

Diante da operação, foram bloqueados um total de R$ 2,6 milhões de recursos do seguro-desemprego. Segundo a pasta, os trabalhadores flagrados terão de devolver as parcelas recebidas indevidamente e não poderão receber novo benefício por ao menos dois anos. Eles também podem responder pelo crime de estelionato qualificado.

Além do recebimento indevido do seguro-desemprego, os auditores do Ministério do Trabalho identificaram diversos empregados sem registro que estavam recebendo benefício de aposentadoria por invalidez. A estimativa é que essas fraudes tenham retirado mais de R$ 3 milhões dos cofres da Previdência Social, segundo o Ministério do Trabalho.