Brasil conseguirá cobrir somente 56% dos gastos necessários com infraestrutura até 2040

Investimento em estradas no Brasil precisa crescer quase 3,5 vezes em relação à taxa atual, segundo um relatório inovador publicado recentemente pelo Global Infrastructure Hub (GI Hub) do G20, documento que descreve as necessidades de investimentos em infraestrutura globalmente e individualmente para 50 países e sete setores até 2040.

O relatório, Global Infrastructure Outlook, revela que os custos para implantar a infraestrutura necessária para apoiar o crescimento econômico global deverão atingir US$94 trilhões até 2040, com mais US $ 3,5 trilhões necessários para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODSs) para o acesso universal às famílias de água potável e eletricidade até 2030, elevando o total para US$ 97 trilhões.

O relatório, que pode ser acessado por meio de uma ferramenta online, também ressalta que US$18 trilhões (quase 19%) desses US$ 97 trilhões não poderão ser financiados.

Ou seja, será necessário investir US$3,7 trilhões por ano em infraestrutura para atender as demandas de uma população global em crescimento acelerado. Este valor é equivalente ao PIB anual total da Alemanha – a quarta maior economia do mundo. E para atender os ODSs de água e eletricidade, o investimento precisa prever aumentos de US$ 236 bilhões adicionais até 2030, quando as metas devem ser atendidas.

Este grande desafio não se restringe somente às economias emergentes que precisam criar uma nova infraestrutura, mas também aos países avançados cujos sistemas em obsolescência precisam ser substituídos.

Os Estados Unidos apresentarão o maior déficit em gastos com infraestrutura, de US$3,8 trilhões, enquanto que a China registrará a maior demanda, de US$28 trilhões – 30% das necessidades globais de investimento em infraestrutura.

A meta principal dos ODSs para 2030 baseia-se na implantação de infraestrutura de qualidade. Com base nas tendências atuais, o investimento ficará quase sem encontrar os ODSs para água e eletricidade.

 

Os dados do estudo para o Brasil, especificamente, apontam que a infraestrutura de transporte brasileira tem muitos desafios pela frente. Segundo o relatório Outlook, o Brasil conseguirá cobrir somente 56% dos gastos necessários de infraestrutura até 2040. Estas necessidades concentram-se principalmente nos investimentos em estradas, cuja soma precisa aumentar em quase 3,5 vezes em relação à taxa atual.  Outros setores, incluindo ferrovias, aeroportos e portos, também precisam dobrar seus gastos atuais

 

Veja abaixo outras projeções do Relatório Outlook:

 

  • Até 2040, a população global aumentará em quase dois bilhões de pessoas – um crescimento de 25% -, sendo que a maioria viverá em cidades, o que gerará uma demanda enorme por infraestrutura.
  • A região com as maiores necessidades de infraestrutura será a Ásia, que necessitará de US$52 trilhões até 2040.
  • Para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS) nas áreas de eletricidade e água limpa, será necessário investir US$3,5 trilhões a mais do que o previsto atualmente.
  • Para cobrir o déficit global, será necessário aumentar o investimento anual em infraestrutura, dos atuais 3% para 3,5% do PIB global. Para alcançar o ODS será necessário que o PIC global aumente para 3,7% entre agora e 2030.
  • Os setores rodoviário e elétrico exigem maiores gastos à medida que a população global se torna cada vez mais urbanizada.

 

O Relatório Outlook é um projeto líder global que inclui uma análise detalhada e uma ferramenta online, desenvolvidas a partir de um estudo intensivo de 50 países e sete setores industriais conduzido pela GI Hub e pela Oxford Economics, a líder global em projeções e análises quantitativas.

 

Revisão pelos Pares

Este estudo foi revisado pelos pares, incluindo o Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento, o Banco Asiático de Desenvolvimento, o Banco Interamericano de Desenvolvimento, o Tesouro Australiano, a Universidade de Cape Town e o Brattle Group.