Calçado especial para pé diabético

O pé diabético normalmente possui baixa circulação sanguínea, sofre com formigamentos e queimação e por isso deve ser calçado por sapatos confortáveis e que evitem a formação de calos, além da população diabética ser muito expressiva e estar em constante crescimento.

A Dublauto Gaúcha, empresa do Rio Grande do Sul,  percebeu no crescimento da população diabética e nas necessidades desse público a oportunidade de criar um produto para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Por intermédio do Programa Design Export, parceria entre a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e Centro Brasil Design (CBD), a Dublauto foi conectada com o Instituto By Brasil que, num primeiro momento, desenvolveu uma pesquisa para compreender esse universo.

A demanda então era desenvolver um modelo de calçado com design moderno e atrativo com tecnologias associadas à saúde. “Realizamos uma pesquisa de tendências de moda para mulheres acima de 50 anos, que é a idade a partir da qual há mais incidência de diabetes, e também em marcas já existentes com foco no conforto. Analisamos e constatamos precariedades em relação à parte interna dos calçados, justamente a parte mais sensível para o pé diabético”, diz Silvana Dilly, diretora executiva do Instituto By Brasil.

De acordo com Carla Rossi Castilho, da área de desenvolvimento e qualidade da Dublauto, diversas tecnologias inovadoras serão exploradas nesse projeto. “Iremos empregar tecnologias de materiais com propriedades de efeito antimicrobiano, fitoterápico, hidratante e de absorção do suor que irão aumentar significativamente o conforto do usuário de calçados e auxiliarão na prevenção de lesões”, diz Carla.

De acordo com Silvana, o maior desafio foi definir um design moderno que não impedisse de nenhuma maneira o conforto da parte interna do calçado. “Foram considerados os pré-requisitos de segurança, com uma forma especialmente dimensionada, sem costuras, forro macio e absorvente, palmilha interna e salto numa altura adequada”, comenta.

O couro foi o material escolhido por oferecer conforto e respirabilidade. O sapato possui elasticidade em todo o contorno e se apresenta como um calçado seguro para a mulher moderna. “O sapato é um item muito importante no vestuário feminino e o conforto aliado ao design atraente dificilmente são encontrados num mesmo modelo. No caso de mulheres diabéticas, poder encontrar um calçado que as faça elegante e confortável, sem colocar sua saúde em risco é fundamental para a sua qualidade de vida, resultando em mais saúde e aumento da autoestima”, reflete Silvana.

O projeto hoje está no laboratório de biomecânica do Instituto Brasileiro de Tecnologia de Couro, Calçado e Artefatos – IBTeC -, passando por alguns testes. Um laudo comprovará a adequação do calçado para uso por parte de portadores de diabetes e então a melhor forma de comercialização será definida.