Linfedema: causas, sintomas e formas de tratamento

O linfedema é uma doença que atinge cerca de 150 mil brasileiros ao ano – sendo a maioria dos afetados do sexo feminino – e é causado por uma obstrução no sistema linfático. A publicitária Ana Luiza Pepino conta, no release abaixo, de uma ocasião em que estava viajando e o linfedema teve uma severa progressão. No que precisar, estou à disposição.

Imagine-se em uma viagem, aproveitando com família e amigos, e, de repente, ser surpreendido(a) com fortes dores e um inchaço descomunal nas pernas. Foi o que aconteceu com a publicitária Ana Luiza Pepino em uma viagem para Orlando (EUA). Diagnosticada com linfedema desde bebê (por conta da Síndrome de Turner, uma disfunção cromossômica), Luiza diz que o problema surgiu num dia agitado da viagem e que os sintomas eram extremamente desconfortáveis. “Até então o linfedema era bem brando, não chegava a incomodar. Mas nessa ocasião tive que tomar cortisona para não evoluir para trombose. Doeu muito e eu não conseguia andar”, conta.

O linfedema é causado pela insuficiência de circulação linfática e é resultado do acúmulo de fluidos nos espaços intersticiais, que pode ser originada de uma má formação ou de danos nos vasos linfáticos e/ou linfonodos. A patologia pode ser hereditária congênita ou causadas por traumas, infecções, doenças autoimunes, tratamento com radioterapia ou, até mesmo, está associada à insuficiência venosa crônica – as famosas varizes.

A doença é dividida em dois tipos: quando ligada à fatores congênitos e/ou hereditários – associada com uma anormalidade do sistema condutor de linfa –, é considerada primária. Chama-se de secundária aquela causada por alguma condição desencadeante, como trauma, infecção ou cirurgia, por exemplo. O diagnóstico pode ser feito com exame físico e através do histórico clínico do paciente.

Como tratar?

Deve-se ressaltar que o linfedema é uma condição incurável, ou seja, tudo o que for feito será para amenizar os sintomas ou amenizar os riscos de desenvolver a doença. Além de manter uma rotina de exercícios físicos, ficar sempre alerta ao sobrepeso, evitar usar roupas, calçados e acessórios apertados e evitar contato com temperaturas extremas (muito frio ou calor excessivo), é indicado, também, a terapia de compressão. Para isso, a Sigvaris, empresa suíça líder em compressão graduada, dispõe de um portfólio de meias e braçadeiras que ajudam na prevenção e tratamento do linfedema e outras doenças venosas.

Após o episódio da viagem, Luiza explica que o médico indicou que usasse meias de compressão e, desde então, ela usa Sigvaris (de média compressão) para evitar que a doença se manifeste novamente. “Agora, quando sei que vou andar muito ou ficar muitas horas em pé, eu uso as meias”, acrescenta. Para o tratamento de doenças linfáticas, a Sigvaris conta com as braçadeiras e linhas de meias: Eversheer, Casual, Basic, Actitud, Algodão Super, Cottom Comfort e Select Comfort Premium, com cortes e cores que agradam todos os gostos e estilos. Para saber a compressão e modelo adequados, consulte um especialista. Veja mais em: https://www.sigvaris.com/br.

Se você já tem um diagnóstico de linfedema é fundamental tomar todas as precauções e fazer um acompanhamento com médico especialista.