Discussões sobre o Brexit dominam a pauta no dia de abertura da WTM London

O receio do impacto de um Brexit “sem acordo” no trade de viagens e turismo dominou os debates na World Travel Market London – principal evento da indústria de viagens e turismo em nível mundial.

Membro do Parlamento Europeu e negociador do Brexit nessa instituição, Guy Verhofstadt disse aos dirigentes da indústria que um resultado “sem acordo” é o pior cenário possível para viagens e outros segmentos.

Apelidado de “estorvador do Brexit” por alguns veículos da mídia britânica, o ex-primeiro-ministro belga apresentou sua visão do que seriam os “Estados Unidos da Europa” – na linha dos Estados Unidos da América – no Almoço dos Líderes realizado no primeiro dia da WTM London. Ele disse aos participantes que está analisando a ideia de os cidadãos do Reino Unido poderem pedir cidadania à União Europeia após o Brexit e concorda com a primeira-ministra britânica Theresa May que deve haver um período de transição para que não ocorram distúrbios na economia.

•Um Brexit “sem acordo” também seria o pior cenário possível para o orçamento de viagens dos consumidores do Reino Unido. Caroline Bremner, Diretora de Viagens da Euromonitor International, previu que o crescimento do PIB em 2019 será de apenas 0,5% se não houver acordo sobre o Brexit. No entanto, caso se chegue a um acerto referente à transição, as taxas de crescimento ficarão entre 1,5% e 2%. “O mercado emissivo enfrentará o impacto de um Brexit sem acordo, já que a demanda cairá 5%”, disse ela. “A Espanha será a mais atingida, perdendo um milhão de britânicos entre 2017 e 2022.”

Outros participantes do debate dos Líderes Mundiais em Viagens concordaram que a confiança do consumidor do Reino Unido poderá ser afetada no ano que vem, mas os britânicos continuarão a priorizar os gastos com viagens em relação a outras despesas. Contudo, houve preocupação generalizada com relação aos trabalhadores migrantes da União Europeia que vivem no Reino Unido e ao futuro incerto deles.

• Os operadores receptivos estão colhendo os benefícios do efeito Brexit, graças à desvalorização da libra. Rob Russell, Codiretor Administrativo do AC Travel Group, disse que os negócios com clientes dos Estados Unidos “aumentarão 67%” este ano, mas repercutiu as preocupações relacionadas aos funcionários. A Euromonitor International prevê que um Brexit “sem acordo” levará a quedas adicionais da libra esterlina, o que fará do Reino Unido um destino com relação custo-benefício ainda melhor para os visitantes estrangeiros.

• À parte os debates envolvendo o Brexit, o evento observou um ritmo intenso de negócios à medida que corria o primeiro dia. Os trabalhos começaram com uma agitada sessão de speed networking com expositores e compradores do mundo todo, os quais fizeram contatos comerciais úteis para dar seguimento ao longo da WTM London e posteriormente.

• A Itália deu destaque a seu título de “destino favorito do mundo”, após ser a mais votada numa pesquisa sobre os lugares onde os turistas estrangeiros preferem passar as férias. Quando indagados “Onde você passaria as férias se ganhasse uma viagem de graça?”, mais de um terço (37%) dos respondentes disseram que visitariam a Itália, que ficou à frente dos Estados Unidos e da Austrália. A Itália é a Parceira Principal da WTM London 2017 e está recebendo 230 expositores de 17 regiões em dois estandes principais. O órgão de turismo italiano quer promover produtos de turismo regional e belezas inexploradas, segundo o ministro do Patrimônio Cultural, Atividades e Turismo da Itália, Dario Franceschini.

• O CEO da British Airways, Alex Cruz, divulgou planos de um investimento de £ 4,5 bilhões na frota da companhia aérea, dizendo aos participantes: “Os dias de glória estão chegando”. Os novos assentos do Club World, que serão revelados em 2019, oferecerão aos passageiros acesso total ao corredor, e será feita uma remodelação da cabine da classe econômica de longa distância para diferenciar a British das rivais de baixo custo. Cruz disse que os passageiros da classe econômica de longa distância terão mais acesso a lanches e bebidas, e será servida a eles uma segunda refeição completa em voos mais longos. E ele assegurou aos participantes: “A primeira classe veio para ficar”. A sessão de aviação da WTM London também ouviu Skuli Mogensen, fundador da companhia aérea islandesa de baixo custo WOW air. Ele apresentou planos de voar de Reykjavík à Ásia e falou de sua ambição de criar um polo internacional na Islândia para conectar os Estados Unidos a destinos asiáticos.

• O número de visitantes do Reino Unido no Egito subiu mais de 30% em relação ao ano passado nos primeiros nove meses de 2017, apesar de o governo do Reino Unido ainda se recusar a permitir voos diretos para o aeroporto de Sharm el-Sheikh. Nasser Kamel, embaixador do Egito no Reino Unido, declarou: “O mundo todo decidiu que [Sharm el-Sheikh] é seguro, exceto o governo britânico”. Entre US$ 30 milhões e US$ 50 milhões foram gastos no aprimoramento das medidas de segurança em Sharm el-Sheikh desde que o Reino Unido proibiu os voos diretos para o aeroporto, após um atentado a bomba num voo fretado russo em novembro de 2015.

As autoridades egípcias vêm trabalhando em estreita colaboração com especialistas do governo britânico e do setor privado, e Kamel afirma que Sharm “é agora mais seguro do que alguns aeroportos do Reino Unido”. Cerca de 230.000 britânicos visitaram o Egito este ano, até o momento, em comparação com um milhão em 2010.

• Como 75% do Caribe não foi afetado pelos furacões Irma e Maria, a região está a caminho de registrar um aumento de 1,2% nas chegadas internacionais em 2017. Hugh Riley, secretário-geral da Organização de Turismo do Caribe, disse que as áreas que foram atingidas estão em vias de recuperação. “O Caribe continua aberto ao público. Vamos terminar o ano numa situação positiva, apesar das tempestades”, explicou ele. • Joanna Lumley, estrela da série Absolutely Fabulous, juntou-se à ministra do Turismo da Grécia, Elena Kountoura, para destacar as atrações do país. As chegadas cresceram de 26 milhões em 2015 para 28 milhões em 2016, sendo que os países do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) vêm ganhando importância. A Grécia espera chegar em breve a 30 milhões de visitantes por ano. Lumley instigou os turistas a visitar a Grécia, após sua recente série televisiva Joanna Lumley’s Greek Odyssey.

• A campanha de turismo de Gibraltar para 2018 girará em torno do tema “Ano da Cultura” para aumentar o número de visitantes que pernoitam no destino. A maioria dos 10,5 milhões de visitantes passa apenas um dia lá, e o governo espera que festivais musicais, literários e esportivos vão persuadi-los a ficar mais.

• O mercado de casamentos no exterior é praticamente “à prova de recessão”. Cresce continuamente e está repleto de oportunidades, segundo Susan Barone, moderadora do primeiro seminário específico sobre casamentos na WTM London. No evento foi feito o lançamento de um grande concurso que oferece a um casal sortudo a oportunidade de ganhar um casamento no Sri Lanka com todas as despesas pagas – inclusive 50 convidados. O prêmio Cinnamon Islands Wedding inclui passagens aéreas de ida e volta, hospedagem com pensão completa, traslados internos e uma recepção de casamento com trajes, joias, cardápio seleto e registro fotográfico.

• Alguns resorts de bem-estar vêm registrando uma busca crescente de silêncio total por parte dos clientes, ao passo que outros relatam um aumento da demanda de natureza, arte e cultura. Susie Ellis, presidente do Global Wellness Institute, disse que o bem-estar mental é outra área em crescimento, enquanto o spa ESPA Life, situado no hotel Corinthia de Londres, vem observando uma grande procura de seu novo neurocientista residente.