Saiba quais as causas e tratamentos para acne

Lidar com a acne é um processo quase que comum para adolescentes e adultos jovens. Atualmente afeta cerca de 80% das pessoas entre 10 a 29 anos, influencia diretamente na autoestima e pode atrapalhar o convívio social.

Inúmeras causas e soluções são relacionadas ao problema, mas nem sempre verdadeiras. A dermatologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Márcia Grieco, tira as dúvidas sobre o problema:

  • A acne é multifatorial

O problema tem diferentes causas e pode estar ligado a fatores como a hereditariedade (quando os pais tiveram acne grave), hormonal, estresse, má higiene, medicamentos e cosméticos.

  • Não tirar a maquiagem é um erro

Não lavar o rosto de forma adequada e não retirar a maquiagem corretamente são fatores que estimulam o problema. Outra questão é a escolha desses produtos. Cremes ou maquiagens oleosos obstruem os poros, facilitando o desenvolvimento de inflamações com pústulas, que são bolinhas com pus.

  • Ovários policísticos influenciam a acne

Mulheres com ovários policísticos, que apresentam a produção de hormônios alterada, podem ficar com a pele mais acneica. Neste caso, o tratamento hormonal, com o uso de anticoncepcional ou inibidores de andrógenos, pode se fazer necessário.

  • O problema não é igual para todo mundo

A acne é uma doença crônica com períodos de surtos e remissões. As lesões, que são os cravos, pápulas, pústulas e até cistos, podem estar isolados ou simultaneamente presentes no mesmo paciente. Por isso, é importante iniciar o tratamento o mais breve possível para evitar a piora do quadro e possíveis cicatrizes.

  • Nada de espremer espinhas em casa

Esse procedimento nunca deve ser feito. Uma ótima alternativa é a limpeza da pele, com higiene e técnicas adequadas, ou tratamento com luz pulsada.

  • Cada grau, um tratamento

A limpeza da pele é parte importante no tratamento. Por isso, são indicados sabonetes, geralmente à base de enxofre ou ácido salicílico, que ajudam a diminuir a produção de óleo. Como ação anti-inflamatória e queda na produção de bactérias, os géis à base de ácido retinóico, peróxido de benzoila e adapaleno conseguem bons resultados. Em quadros muito inflamatórios, é indicado ainda o uso de antibiótico via oral, que merecem atenção e acompanhamento mais efetivo por parte de um dermatologista.