Eva Furnari comemora seu oitavo Prêmio Jabuti

A autora e ilustradora Eva Furnari completa 69 anos no próximo dia 15 com inúmeras razões para comemorar: dias antes de assoprar as velinhas, foi revelado ao público que Drufs (Ed. Moderna), seu último livro infantil, foi laureado no Prêmio Jabuti, maior reconhecimento da literatura brasileira. Agraciada com o primeiro lugar na categoria infantil, Eva alcançou a graça dos jurados e o sucesso entre o público ao colocar a diversidade de maneira afetuosa e inventiva em seus dedos travestidos de Drufs, os pequenos e imaginários seres do mundo mágico da autora.

Drufs foi um dos principais lançamentos da Bienal Internacional do Livro de SP em 2016 e de lá pra cá, foi um estrondoso sucesso: a Revista CRESCER escolheu o título para a sua seleta lista de 30 Melhores Livros Do Ano (2017), que indica as melhores produções literárias voltadas ao público infantil. A publicação também elegeu Eva Furnari para receber o Troféu Monteiro Lobato de Literatura Infantil 2017, prêmio concedido anualmente ao autor de maior destaque na área. Dias antes do anúncio dos vencedores do Jabuti, outra surpresa: com essa mesma obra, Eva estava entre os finalistas do Prêmio Biblioteca Nacional 2017, na categoria infantil.

Personagens e suas questões pessoais, uma pitada de fantástico, um punhado de nomes engraçados e um divertido non-sense são alguns dos ingredientes das receitas mágicas criadas por aquela que tem um irresistível poder de encantar a criançada. A inventividade, por sinal, é uma das marcas registradas de Eva: foi com seu coelho de orelhas irregulares e complexado que a artista levou o Prêmio Jabuti há 10 anos com Felpo Filva (Ed. Moderna), na mesma categoria em que foi agraciada em 2017. Além desses, Eva reúne mais outras seis estatuetas da distinção máxima da literatura nacional com as obras Cacoete, Circo da Lua, Anjinho e A Bruxa Zelda e os 80 docinhos, todas publicadas pela Editora Moderna, e Truks, atualmente fora de catálogo.