Calendário Pirelli 2018 é apresentado em Nova Iorque

O Calendário Pirelli 2018 realizado por Tim Walker foi apresentado hoje no Manhattan Center em Nova Iorque. Para a 45ª edição do Calendário produzida em Londres em maio passado, o fotógrafo britânico utilizou o seu estilo inconfundível, com cenários inusitados e padrões românticos, para ‘recriar’ um dos contos mais clássicos da literatura britânica: Alice no País das Maravilhas. A inspiração para o seu ensaio fotográfico não se baseou apenas no conto surrealista de Lewis Carroll, mas também e principalmente nas ilustrações que Carroll tinha confiado a John Tenniel por ocasião da primeira edição de 1865, e que, no Calendário Pirelli 2018, se transformaram em 28 cliques realizados em 20 sets extraordinários de um novo País das Maravilhas.

”A história da Alice – explicou Walker – foi contada tantas vezes, mas eu quis chegar à gênese do imaginário de Lewis Carroll para poder recontá-la desde o começo. Queria um enfoque inusitado e diferente”.  

Para realizar a sua interpretação de Alice no País das Maravilhas, Walker retratou um elenco de 18 celebridades, algumas mais conhecidas e outras emergentes, tais como músicos, atores, modelos, ativistas políticos. Trata-se da modelo australiana-sudanesa Adut Akech, da modelo e ativista feminista britânica-ganesa Adwoa Aboah, do modelo alemão-senegalense Alpha Dia, do ator e modelo americano-beninense Djimon Hounsou, da modelo australiana-sudanesa Duckie Thot, da ativista gambiana para os direitos das mulheres Jaha Dukureh, do modelo britânico King Owusu, do rapper e cantor americano Lil Yachty, da atriz queniano-mexicana Lupita Nyong’o, da top model e atriz britânica Naomi Campbell, do ator, apresentador, cantor e compositor RuPaul, da atriz americana Sasha Lane, do rapper, cantor, compositor, ator, produtor musical e empresário Sean “Diddy” Combs, da modelo americana Slick Woods, da modelo e advogada sul-africana Thando Hopa, da atriz, humorista, autora e apresentadora Whoopi Goldberg, do modelo britânico Wilson Oryema e da estilista, designer e cantora britânica Zoe Bedeaux que, juntos, formaram um elenco completamente negro como já aconteceu com o Calendário de 1987 do fotógrafo britânico Terence Donovan que retratou cinco lindas mulheres negras, entre as quais a adolescente com apenas 16 anos Naomi Campbell e a modelo, escritora e ativista Waries Dirie.

Para realizar o seu Calendário, após o do ano passado por Peter Lindbergh, Tim Walker contou com a colaboração de dois artistas de renome: Shona Heath, uma das maiores diretoras britânicas de arte e cenografia, e o ícone da moda Edward Enninful, o estilista que criou os elaborados e maravilhosos figurinos desta edição.

Shona Heath é a criadora dos cenários e das instalações deslumbrantes que permitiram a narração criativa desta versão de Alice no País das Maravilhas. Elementos do conto que pertencem ao imaginário coletivo são aqui desconstruídos: o Coelho Branco, por exemplo, torna-se um coelho preto, e as rosas vermelhas da Rainha são pintadas de preto pelas Cartas do Baralho.

“Sempre procurei ideias novas para subvertê-las, sempre procurei questionar o significado do conto e de seus momentos que saltam à vista para diferenciá-los o quanto mais fosse possível. Na realidade, nós estamos passando uma mensagem muito clara que continua profundamente fiel ao conto original”, afirma Shona.