Inflação oficial avança 0,42% em outubro, diz IBGE

Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Com preços de alimentos e artigos de residência mais baixos, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do País, variou 0,42% em outubro. No ano, o indicador marca 2,21%, a menor inflação acumulada para meses de outubro desde 1998.

Nos últimos 12 meses encerrados em outubro, a inflação acumula variação de 2,70%, com uma ligeira alta em relação ao período imediatamente anterior. Essa aceleração é explicada devido ao aumento das contas de luz durante o mês. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No resultado do mês, os preços de alimentação e bebidas recuaram pela sexta vez seguida a 0,05%. Os preços de artigos de residência, por sua vez, desaceleraram 0,39%, devido ao barateamento nos preços de eletrodomésticos.

No caso da alimentação, que corresponde à maior parte das despesas das famílias, a queda foi causada pelos menores preços do feijão-mulatinho (-18,41%), alho (-7,69%), feijão-carioca (-3,29%), açúcar cristal (-3,05%), leite longa vida (-2,99%) e o arroz (-1,14%).

Trajetória de queda

Influenciado pela supersafra de alimentos prevista para o ano e pela retomada da economia, a inflação oficial saiu de um patamar de 9,32%, em maio do ano passado, e caiu para 2,70% nos últimos 12 meses. Isso significa que o custo de vida para o brasileiro está mais baixo, já que o controle da inflação evita que os salários percam valor.  Para este ano, especialistas estimam que o IPCA encerre o ano em 3,08%. Em 2018, a aposta é que a inflação fique em 4,02%.