Cuidados na fase dos dentes de leite

Entre as milhares de preocupações dos pais com os filhos, também está o tempo da troca dos dentes de leite das crianças. Os dentes decíduos, conhecidos como dentes de leite, preparam o caminho e influenciam diretamente no crescimento dos permanentes. Além disso, ajudam a manter o equilíbrio da estrutura da face, proporcionam uma melhor mastigação dos alimentos e contribui para o aumento da  autoestima da criança.

A formação do dente de leite acontece no primeiro trimestre da gravidez. Por isso, desde a gestação, é importante que a mãe tenha cuidado com a saúde e mantenha uma dieta adequada. Os incisivos centrais inferiores são os primeiros dentinhos que aparecem, por volta dos seis meses de idade. Aos dois anos, a arcada dentária já estará completa e o pequeno deve ter 20 dentes na boca.

De acordo com a Rosane Menezes Faria, dentista da Caixa Seguradora Odonto, com o início da dentição, os pais devem prestar muita atenção na higiene bucal do filho. “É preciso escovar os dentinhos com uma escova de cabeça pequena e cerdas macias após cada refeição, ingestão de açúcar e antes de dormir. Este é o principal horário para a higienização bucal, pois durante o sono a salivação diminui, o que propicia a proliferação das bactérias.”

O que fazer quando surgem as cáries?

A especialista alerta que a partir do momento em que o dente erupciona na boca do bebê, ele já está sujeito a sofrer uma lesão de cárie. “O grande problema é que, nesse caso, alguns pais optam por não buscar um tratamento adequado, pois pensam que não há necessidade, já que o dente será substituído por outro”. Porém, segundo Rosane, se lesão de cárie não é tratada, as bactérias presentes podem atingir o canal do dente de leite e contaminar o germe do dente permanente, que está logo abaixo. “Isso pode vir a causar uma lesão infecciosa, além de prejudicar a microflora que futuramente recepcionará os dentes permanentes”, alerta.

Os tratamentos realizados em dentes decíduos com cáries vão depender de cada situação específica e ser avaliada pelo especialista. Podem ser feitas restaurações com materiais próprios para esses dentes, tratamentos endodônticos (de canal) com remoção do nervo do dente ou extração.

Queda dos dentes de leite

Segundo a dentista, aos seis anos os dentes de leite começam a cair. “Em hipótese alguma, os pais devem recorrer a métodos caseiros para forçar a queda. É importante também tranquilizar os pequenos de que é um processo fisiológico e que eles não precisam ficar assustados e nem envergonhados com as famosas “janelinhas”’, explica.

Algumas vezes, antes do dente cair, o substituto pode começar a nascer na posição errada, encavalando um no outro. “Quando isso acontece, o necessário é realizar a remoção. Ainda é indicado visitas semestrais ao consultório para acompanhamento do crescimento ósseo e posição do novo dentinho”, orienta.

O que fazer se os dentes demorarem a cair?

Por fim, a especialista destaca que, no caso de atraso dessa troca dos dentes de leite, a primeira atitude a ser tomada é levar o pequeno ao dentista. Por mais que não seja um problema tão sério, a retenção prolongada pode causar desconforto e até inflamação na região.

Segundo ela, o profissional fará uma radiografia panorâmica para identificar os motivos da retenção. “Gengiva muito fibrosa, falta de espaço, perda do caminho da erupção pelo dente permanente e inexistência do dente permanente estão entre os principais fatores que podem prolongar a queda dos decíduos”, conclui Rosane.