Lush Prize tem dois vencedores brasileiros

Brasileiros estão entre os vencedores do maior prêmio global pelo fim dos testes em animais pelo 4º ano consecutivo

Lush Prize tem dois vencedores brasileiros - Lush Prize tem dois vencedores brasileiros
A Dr.Carolina M. Catarino e o Dr. Renato Ivan de Ávila Marcelino tiveram seus projetos consagrados na categoria Jovem Pesquisador, onde cada um recebeu o valor de £10.000 para desenvolver suas teses – Fotos: Divulgação

Pesquisadores, cientistas e ativistas que buscam alternativas aos testes em animais tiveram seus projetos reconhecidos e consagrados pelo Lush Prize nesta sexta-feira (10). O prêmio, criado a partir da parceria da Lush Cosmetics com a Ethical Consumer Research Association, é o maior fundo de premiação do setor e investe em pesquisas no
mundo inteiro.

Lush Portraits Carolina Motter cópia - Lush Prize tem dois vencedores brasileirosEste ano foram £330.000 distribuídas entre cinco categorias diferentes: ciências, treinamento, consciência pública, lobbying e jovem pesquisador. Nesta última categoria, tivemos pelo quarto ano consecutivo, brasileiros premiados. Carolina M. Catarino, ganhou £10.000 pelo projeto Modelos de pele humana usando tecnologia de bioimpressora 3D. Sua ideia é criar, em laboratório, novos modelos de pele para serem usados no lugar de animais em testes de cosméticos e medicamentos. Carolina disputou pelo Rensselaer Polytechnic Institute, nos Estados Unidos, onde está fazendo seu doutorado através de uma bolsa do programa Ciências Sem Fronteiras.

O segundo ganhador brasileiro é o Dr. Renato Ivan Lush Portraits Renato Ivan de Avila cópia - Lush Prize tem dois vencedores brasileiros de Ávila Marcelino, da Universidade Federal de Goiás, com o projeto Aplicabilidade da associação de micro-DPRA e foto-micro-DPRA para identificar potencial de fotosensibilidade em misturas reais. O objetivo é propor novas estratégias de testes de alergia que não precisem de animais como cobaias. Depois de concluir o estudo, o doutor e sua equipe querem repassar o conhecimento através de cursos e treinamentos. Assim como Carolina, Renato também conseguiu bolsa do Ciências Sem Fronteiras e está, atualmente, na Lund University (Suécia), estudando métodos alternativos à testes em animais com a especialista no assunto, Dr. Malin Lindstedt.