Oportunidades de investimento no Brasil é tema de seminário

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o Deutsche Bank e o Banco do Brasil (BB) realizaram nesta quinta-feira, dia 30/11, em Frankfurt, Alemanha, o seminário Oportunidades de Investimentos no Brasil. O objetivo do encontro, que reuniu cerca de 80 empresários e investidores europeus na sede do banco alemão, era apresentar a um público qualificado as oportunidades no setor de infraestrutura do país, assim como os dados mais atuais que reforçam a recuperação da economia brasileira.

Pelo lado brasileiro, participaram do evento o presidente do BB, Paulo Rogério Caffarelli, o presidente da Apex-Brasil, Roberto Jaguaribe, o secretário de Acompanhamento Econômico, Mansueto Almeida, o secretário especial da Secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos, Adalberto Vasconcelos, o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético, Eduardo Azevedo e Dino Batista, secretário de Fomento e Parcerias, Dino Batista.

Do lado alemão estiveram no evento o Presidente e Co-diretor do Banco Corporativo e de Investimento do Deutsche Bank, Marcus Schenck, o diretor para Américas do DIHK (Deutscher Industrie und Handelskammertag), Michael Volkermann, Diretor de Infraestrutura Energia do Deutsche Bank, entre outros além de trazer presidentes e diretores executivos como panelistas das empresas Deutsche Banh, Fraport, Grupo EDP e Siemens.

Para o presidente da Apex-Brasil, Roberto Jaguaribe, os investidores avaliam cenários de longo prazo, “a capacidade do Brasil em realizar importantes reformas macroeconômicas, e o fato de estarmos vencendo umas das maiores crises econômicas de nossa história dão uma sinalização clara aos agentes privados da maturidade e da segurança jurídica do País para receber investimentos de qualidade”.

Jaguaribe destaca também que os projetos já leiloados ou renovados pelo governo – aeroportos, terminais portuários, distribuições de energia e lotes de transmissão – somam cerca de US$ 11 bilhões, mas que o potencial é muito maior. “Para o resto de 2017 e 2018, outros 92 projetos estão no Programa PPI, incluindo aeroportos, minas, rodovias, ferrovias, terminais portuários e locais de petróleo e gás. Há uma vasta gama de oportunidade para os investidores estrangeiros”.

Para o Deutsche Bank, muitos desses projetos oferecem oportunidades para empresas europeias e alemãs. “Por meio de um diálogo interativo e transparente, estou certo que o evento irá proporcionar aos nossos clientes maior conhecimento sobre as reformas e projetos de infraestrutura sendo implementados no Brasil,” afirmou Renato Grelle, Presidente do Deutsche Bank Brasil.

Já o presidente do Banco do Brasil reforça que as mudanças promovidas no formato das concessões e a criação do novo modelo de financiamento favorecem a competitividade nos leilões e espera-se aumento do interesse, especialmente, de estrangeiros. “O aumento do prazo entre a publicação do edital e a realização do leilão, a definição de um cronograma e maior previsibilidade dos projetos permitem a atração de novos players, enquanto um modelo de financiamento baseado em mercado de capitais permite acessar novos recursos e tornar o processo mais dinâmico”.

A confiança dos investidores estrangeiros na economia brasileira permanece firme. Desde 2010, o Brasil tem se mantido entre os 10 principais países receptores de IED do mundo. Em 2016, o país recebeu USD 78,1 bilhões em investimentos diretos, de acordo com a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal). De janeiro a julho de 2017, o número já está em USD 40,3 bilhões, maior que no ano passado, quando o fluxo de investimentos diretos no país acumulou USD 34,0 bilhões no mesmo período.