Obras de revitalização do Cais Mauá começam em março 2018

A prefeitura de Porto Alegre entregou, na manhã desta terça-feira (5), a licença de instalação para a empresa Cais Mauá do Brasil S.A., que permite o início das obras de revitalização do local. O ato ocorreu no Pórtico Central do Mauá. A estimativa do investimento privado é de cerca de R$ 500 milhões e deve gerar 28 mil empregos diretos e indiretos. As obras devem começar em março de 2018 e a revitalização total do complexo Cais Mauá, com 3,2 quilômetros de extensão, deverá ser concluída em seis anos.

A obra está divida em três fases. A primeira, que deve durar dois anos e começar em três meses, prevê o restauro de 11 armazéns e a construção de 10 praças. Os armazéns serão destinados a bares e restaurantes, lojas, estabelecimentos culturais e atividades comerciais.

Depois dos armazéns, será a vez das áreas das docas, que terão um centro de eventos, um hotel e dois edifícios comerciais. A praça Edgar Schneider será revitalizada. A terceira fase contempla a região da Usina do Gasômetro e do Armazém A6, que deve abrigar um centro comercial de dois andares, com estacionamento coberto para 2,2 mil veículos.

“Hoje reafirmo que o governo do Estado, a secretaria dos Transportes e todos os órgãos do Executivo estadual, que estejam envolvidos no projeto, seguirão totalmente dispostos a fazer com que esta obra comece o quanto antes. Sempre digo que o Poder Público não consegue tudo sozinho, e o nosso foco é tornar o Estado moderno e eficiente para oferecer serviços essenciais de qualidade para a população. Este projeto do Cais Mauá colocará Porto Alegre ao lado das grandes capitais do mundo. E com certeza, esta é mais uma parceria pelo futuro”, afirmou o governador José Ivo Sartori.

O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr., afirmou que a entrega da licença representa “a vitória dos persistentes que olham para o futuro e veem uma cidade melhor”, e salientou que a cidade está aberta a investimentos privados. “Só assim poderemos revitalizar esse espaço privilegiado da orla do Guaíba, que está se deteriorando, e entregar aos porto-alegrenses um local público com iluminação, segurança, infraestrutura, bares, restaurantes, serviços e espaços de convivência”, afirmou Marchezan.

A revitalização

A presidente da empresa Cais Mauá Brasil, Julia Costa, lembrou que o processo de revitalização da área começou em 2005, no governo Germano Rigotto. Agradeceu a todos que trabalharam em harmonia nos governos estadual e municipal durante as últimas duas décadas. “Isto possibilitou com que este momento histórico para Porto Alegre, que dará nova fisionomia à cidade, se concretizasse hoje”, disse.

Como a área é arrendada do governo do Estado, o próximo passo é informar oficialmente o Executivo gaúcho sobre o licenciamento e formalizar o cronograma de obras em três etapas, comprovar a capacidade financeira junto ao Tribunal de Contas do Estado e fazer o chamento das empreiteiras que executarão a obra.

A licença de instalação, entregue nesta terça-feira, refere-se apenas à restauração dos armazéns. Os investidores começam agora os trâmites para o licenciamento das outras duas partes da obra.

Participaram do ato, o ex-governador Germano Rigotto, o ex-prefeito José Fortunati, secretários de Estado, deputados estaduais, vereadores e colaboradores do projeto nestas duas décadas.