CEO da Lojas Renner defende pacto pelo Rio Grande

O CEO das Lojas Renner José Galló e a presidente da FEDERASUL Simone Leite – Foto: Itamar Aguiar/Divulgação

O CEO da Lojas Renner, José Galló, propôs um pacto pelo Rio Grande para sair da crise ao falar para empresários durante o último Tá na Mesa de 2017 da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul), realizado dia 8 de dezembro. Na ocasião, o empresário falou sobre política e economia e sugeriu que o assunto finanças públicas seja analisado por um especialista de confiança e isento para que todos tenham consciência da real situação. Definiu como “inacreditável e absurdo” a Assembleia Legislativa aprovar medidas de reposição salarial ao Judiciário, quando o Executivo nem recebendo está. “É preciso sensibilidade”, disse.

Criterioso, Galló responsabilizou a omissão da sociedade brasileira pelo colapso do Brasil que, para ele, era “inimaginável”, comparado há oito anos, quando alçava “índices econômicos invejáveis”. Falou das utopias dos governos anteriores a Temer, destacando os “preços maquiados, represamento no repasse de custos dos combustíveis ao consumidor final e indícios de controle cambial”.

Também revelou que é um verdadeiro “milagre” a atual retomada da economia brasileira. Disse que a queda drástica da inflação, aliada à redução da taxa SELIC, está auxiliando na recuperação econômica do País. Se congratulou com o COPOM, pela redução da taxa, afinal de 7% de SELIC, que definiu como “algo surreal! ”.

O empresário disse que a necessidade do pacto pelo Rio Grande vai ajudar a acordá-lo e disse que é preciso se ter noção da realidade. “Aqui no RS tudo é muito lento, vagaroso, demorado e engessado. O Rio Grande está perdendo empresas e talentos e com isso, gera desemprego e culmina na redução da arrecadação de impostos. É um efeito cascata”, analisou Galló.

Em 2017, a Lojas Renner, que é comandada por Galló há quase 30 anos, iniciou a internacionalização da marca, com a instalação de lojas no Uruguai. Segundo o CEO, a inserção da marca no exterior deve se limitar ao Uruguai. Ele lembrou que em 1991, quando assumiu, a loja era deficitária, estava à beira da falência e contava com apenas 8 filiais. Hoje, José Galló controla as mais de 500 lojas em todos os estados brasileiros e cerca de 20 mil funcionários.

Na abertura da edição especial do Tá Na Mesa, a presidente Simone Leite homenageou todos os parceiros e patrocinadores que auxiliaram na realização das 37 edições deste ano, incluindo a histórica reunião-almoço realizada na Expointer 2017. No próximo ano, o Tá Na Mesa chega aos 25 anos de existência e a primeira edição está programada para acontecer em 07 de março, com a presença do governador do RS, José Ivo Sartori.