DestaqueRS

Secretaria de Saúde de Sapiranga alerta sobre mariposas que causam reação alérgica

As unidades de saúde de Sapiranga têm registrado um surto de alergias causado pela mariposa do gênero Hylesia, que pode causar dermatite urticante. Devido ao aparecimento de vários casos nos últimos dias, a Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Sapiranga está emitindo um alerta à população com alguns cuidados necessários para evitar o contato com o inseto.

Conforme o Departamento de Meio Ambiente, o aumento do surgimento destas mariposas se deve a dois fatores combinados: o desequilíbrio ambiental causado por desmatamentos e ao fato de que neste período (fim da primavera e início do verão) o inseto se reproduz intensamente.

As alergias são causadas pelo pó liberado quando o inseto bate as asas. A mariposa solta cerdas que formam pequenas nuvens no ar, liberando uma substância chamada cantaridina, que, além do contato direto com humanos que pode causar irritação na pele e nos olhos, pode ainda se depositar em tecidos, como as roupas no varal ou  toalhas em beira de piscinas e locais de banho onde exista maior quantidade do inseto. Geralmente o contato das mariposas causa dermatite, com lesões avermelhadas na pele, podendo afetar os olhos e com coceira associada. A evolução das lesões varia de 7 a 14 dias, com resolução total (a doença benigna).

Segundo a Secretaria de Saúde, os casos não são graves e devem diminuir nos próximos dias. “Vale destacar que as reações não passam de pessoa para pessoa e caracterizam-se por reações inflamatórias da pele, provocando irritação severa e coceira intensa, dentro de horas após o contato. O tratamento depende da gravidade do caso”, explicam as enfermeiras Marta Reichert e Claudia Tappes. “A orientação é que a pessoa, em caso de irritação mais grave da pele ou nos olhos, busque atendimento em uma unidade de saúde o mais breve possível”, destaca a pediatra Fernando Lima.

Além de evitar o contato, os moradores podem tomar ações preventivas contra o aparecimento do inseto, como a instalação de telas anti-insetos nas residências, não deixar roupas no varal após o entardecer ou evitar locais iluminados intensamente à noite (as mariposas são atraídas pela luz). Evitar luzes externas nas moradias e deixar residências devidamente fechadas são outras medidas para evitar que o inseto seja atraído.  Os insetos são atraídos pela luz, aparecendo principalmente à noite. Eles costumam voar nas proximidades das lâmpadas.
   

 RECOMENDAÇÕES 

Especialistas têm destacado algumas recomendações simples para evitar o aparecimento e o contato com as mariposas.
1 – O uso de telas contra insetos e uma simples limpeza com pano e água (use luvas para fazer a limpeza) em ambientes onde a mariposa foi observada no período noturno é o suficiente para evitar o contágio;
2 – Havendo constatação do inseto, feche as janelas da residência;
3 – Apague as luzes externas da moradia;
4 – Não deixe roupas estendidas nos varais após o entardecer.
5 – Não varra quintais ou calçadas; faça a limpeza com baldes de água.
6 – Limpe os móveis que possivelmente foram expostos às mariposas com pano úmido e coloque este pano em um saquinho plástico antes de jogá-lo no lixo.
Caso haja o contato com o inseto, especialistas sugerem algumas ações simples, mas sempre lembrando que o melhor, caso ocorra a reação alérgica, é procurar um profissional de Saúde.
1 –  Em caso de contato com a mariposa (mesmo se matar ela, use luva ou evite o contato direto com as mãos), evite de coçar o local e não leve as mãos aos olhos. Lave a área atingida com água fria e aplique compressas frias.
2 – Banhos com sabão glicerinado também auxiliam.
3 – Não utilize qualquer tipo de medicamento sobre o local que teve o contato ou tome algum tipo de remédio sem a devida receita médica.
3 – Em caso de reação alérgica, procure atendimento médico imediatamente em unidades básicas de saúde.
Tags

Artigos relacionados

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios