Vacinação contra febre amarela deve ser ampliada no Rio

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio de Janeiro recomendou às prefeituras de três municípios que ampliem a vigilância sanitária e intensifiquem a vacinação contra a febre amarela. São eles: Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, Tanguá, na região metropolitana do Rio, e Miguel Pereira, na região centro-sul do estado. Nessas três cidades foram registrados casos de macacos mortos com resultado positivo para a febre amarela.

De acordo com o órgão, nos três municípios há áreas de mata e, como são locais que recebem grande quantidade de turistas, os visitantes precisam tomar a vacina com no mínimo 10 dias antes da antecedência. A secretaria lembra que os macacos não transmitem a febre amarela e também são vítimas da doença. O vírus é transmitido apenas pela picada de mosquitos silvestres. Quem encontrar macacos mortos ou doentes deve informar às secretarias de saúde.

A secretaria informou que já colocou à disposição das cidades de Miguel Pereira e Tanguá doses suficientes para imunizar todo o público-alvo dessas regiões. Para Nova Iguaçu haverá um reforço de 100 mil doses da vacina. A cidade vem fazendo a vacinação desde o início do ano passado e hoje (5) começou a funcionar na Praça de Tinguá um posto para vacinação que ficará aberto das 8h às 17h. O objetivo é imunizar moradores e turistas que frequentam a Reserva Biológica de Tinguá, onde no fim de novembro foi encontrado um macaco morto, na divisa com o município de Duque de Caxias. O animal foi encaminhado para análise na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que liberou o resultado um mês depois com atestado positivo para a doença.