11 de janeiro, Dia do Combate a Poluição por Agrotóxicos

Entre as datas comemorativas listadas na agenda do Ministério do Meio Ambiente (MMA), o 11 de janeiro marca o Dia do Combate da Poluição por Agrotóxicos. A data foi escolhida porque, no dia 11 de janeiro de 1990, foi publicado o Decreto nº 98.816, que determinou mais rigor no registro, controle, inspeção e fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e produtos derivados.

Esta data não serve para fins de comemoração, mas para que seja um dia de reflexão perante o uso indiscriminado desses produtos, prática usual e que pode causar sérios efeitos à saúde humana e ao meio ambiente.

De acordo com dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o uso de agrotóxicos nas lavouras brasileiras aumentou mais de 400% nos últimos 40 anos. Com isso, o Brasil alcançou a primeira colocação entre os países que mais fazem uso de agrotóxicos, deixando para trás até mesmo os Estados Unidos e outros países com ampla tradição na agricultura e uso de agrotóxicos.

Os produtores que utilizam agrotóxicos nas plantações devem respeitar as informações contidas nos rótulos dos produtos, como as culturas permitidas, as dosagens, os equipamentos de proteção individual nas aplicações e os períodos de carência.

Município da Serra Gaúcha promove ações práticas

No município de Farroupilha, na Serra Gaúcha, as Secretarias Municipais de Desenvolvimento Rural e de Meio Ambiente, com auxílio do Sindicato dos Agricultores Familiares de Farroupilha e parceria da Aracamp, realizam o Recebimento Itinerante de Embalagens Vazias de Agrotóxicos em quatro datas durante o ano e em várias localidades do interior do município. As datas para 2018 serão divulgadas em breve. O objetivo desta ação é dar destino correto ás embalagens de agrotóxicos e auxiliar, dessa forma, na preservação do meio ambiente.

Alternativas

Para os produtores que tenham interesse em diminuir o uso de agrotóxicos, podem procurar utilizar outros modos de controle de pragas e doenças muito praticados na produção orgânica como: o policultivo, a rotação e o consórcio de culturas, a criação de corredores ecológicos, a adubação verde, o controle biológico, o emprego de plantas companheiras e repelentes, e o uso de cercas vivas ou cordões de contorno. Não somente a produtividade seria beneficiada, mas também o meio ambiente e a própria saúde do produtor.