Feira de Adoção do Canil segue nos meses de verão

Mostra de oportunidades de se fazer um amigo fiel ocorre às quintas-feiras, das 9h30 às 15 horas, na Praça do Imigrante

A Feira de Adoção do Centro Municipal de Proteção aos Animais (Cempra), mais conhecido como Canil Municipal, segue uma vez por semana durante os meses de verão e está situada no coração de Novo Hamburgo. A ação ocorre todas as quintas-feiras, das 9h30 às 15 horas, sempre na Praça do imigrante.

Feira ocorre às quintas-feiras, das 9h30 às 15 horas, na Praça do Imigrante – Foto: Larissa Nunes Carlosso

Quem quiser levar para casa um cão ou um gato trazido pelo Canil terá a tranquilidade de encontrar animais castrados, desverminados e vacinados no local, prontos para serem conduzidos a um lar responsável. Basta olhar para se apaixonar e fazer a sua escolha, passando a cuidar com carinho do novo amigo que será como um membro da família.

De acordo com a diretora do Cempra, a veterinária Deisy Cristina Heck, a mostra ao ar livre é uma oportunidade para informar a população sobre o trabalho realizado pelo Castramóvel, estacionado na praça, e na unidade lomba-grandense de proteção animal. “Estamos à disposição para tirar dúvidas da comunidade e pôr fim a alguns tabus”, destaca Deisy.

Ela observa que a castração, por exemplo, é um assunto recorrente. “Há quem acredite que o animal castrado deixa de guardar ou vigiar a casa”, pontua. “Mas quando a cirurgia é feita em filhotes normalmente não há essa mudança de comportamento.” Deisy assinala que as feiras de adoção contam com a parceria da Organização Não Governamental (ONG) Respeito Animal.

Além da ação das quintas-feiras, nos meses de janeiro e fevereiro, os interessados em adotar um bichinho podem ainda ir diretamente no Cempra, que fica no número 1.400 da Estrada do Walahai, em Lomba Grande. O horário de atendimento é das 9 às 16 horas.

Abrigo temporário

Para entender melhor sobre as atribuições do Cempra, vale destacar que o centro funciona como abrigo temporário de alta rotatividade, onde os animais de rua passam por tratamentos veterinários e são devolvidos ao seu território de origem. O recolhimento e os procedimentos protetores de manejo dos bichos reconhecidos como comunitários se dá de acordo com a legislação vigente. Aliás, para efeitos legais, considera-se animal comunitário o cão ou gato que estabelece com a sociedade em que vive os laços de dependência e de manutenção, ainda que possua um único e definido responsável por seus cuidados básicos.