Saúde

Óculos para a prática esportiva protegem os olhos

Com o verão se aproximando e os dias longos, mais pessoas buscam áreas ao ar livre para a prática de esportes, ficando expostas aos diversos elementos que compõe o ambiente e que podem gerar transtornos para os olhos. Entretanto, muitos se esquecem de um cuidado que pode proteger a visão – a utilização de óculos adequados. Com diversos formatos, cores, tamanhos e estilos, mais do que incrementar o visual, o adereço é considerado um equipamento de proteção individual para os olhos nos variados tipos de esportes, seja em áreas externas ou não.

Na hora de uma corrida, caminhada ou passeio de bicicleta, além de uma barreira contra o vento, evitando o ressecamento dos olhos, os óculos são um bloqueio de poeira e partículas, que podem causar irritação e vermelhidão. “O acessório deve encaixar anatomicamente ao rosto e aos olhos, de forma que funcione como um elemento de proteção e aerodinâmico, impedindo qualquer possibilidade de exposição ao meio ambiente”, explica o Dr. Pedro Antonio Nogueira Filho, oftalmologista especializado em córnea e doenças oculares externas e chefe do pronto-socorro do H.Olhos Paulista.

Para esportes na água, seja em piscinas, rios, lagoas ou mar, a proteção é contra diversas bactérias, vírus e protozoários que provocam infecções oculares e estão concentrados nesses locais. Esses agentes podem se proliferar de forma muito rápida e agressiva, afetando severamente os olhos. “É essencial que os óculos proporcionem uma vedação adequada para que não ocorra contato com a água. Ao mesmo tempo não devem gerar pressão excessiva aos olhos e propiciar conforto durante o seu uso”, comenta o especialista.

Já quando a atividade envolve bolas, como basquetebol, handebol e tênis, os óculos são aliados para evitar  traumas, como uma bolada. “A bola de tênis, por exemplo, se encaixa perfeitamente com a órbita, o que pode causar um acidente de maior gravidade e trazer transtornos às funções visuais”, diz o oftalmologista.

“Independentemente do esporte ou exercício realizado, a anotomia do modelo é muito importante para que os óculos se mantenham firmes no rosto e não caiam ou escorreguem com os movimentos. Mais um destaque é que a armação deve ser leve, porém resistente, com a capacidade de absorver impactos”, destaca o médico do H.Olhos Paulista.

Os perigos dos raios UVA e UVB

Como a grande maioria das atividades são realizadas ao ar livre, é essencial o alerta para os perigos da exposição ao sol, que pode causar uma série de lesões oculares, caso não haja proteção adequada. “A utilização de óculos compatíveis com cada tipo de atividade esportiva, sendo eles escuros ou não, é fundamental para blindar os olhos da radiação UVA e UVB. Os raios podem ocasionar ceratite, caracterizada pela inflamação na córnea; aparecimento de pterígio, que é o crescimento de uma membrana sobre a córnea e gera ardência, lacrimejamento e fotofobia; e intensificar e tornar precoce a condição de catarata, que se trata da opacificação do cristalino, além de outras doenças associadas à retina e que podem comprometer a visão”, finaliza o Dr. Pedro Anto nio.

Atenção à qualidade

É importante levar em consideração determinados pontos em relação às lentes:

  • Filtrar entre 99% e 100% de toda a radiação UV (abaixo dos 400 nm). Se possível, filtrar a chamada radiação azul (entre 400 e 500 nm);
  • Ter boa qualidade óptica para evitar a distorção das imagens;
  • Cobrir a região ao redor dos olhos, para auxiliar no combate ao envelhecimento da pele das pálpebras;
  • Evitar óculos escuros de procedência duvidosa, sem garantias e sem nota fiscal, pois este tipo de acessório pode ter qualidade ruim e ser escuro o suficiente para fazer com que a pupila dilate, devido à baixa luminosidade, permitindo a entrada dos raios nocivos e causando danos à visão.
Tags

Artigos relacionados

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios