RS

Dragagem em casa de bombas embaixo do viaduto da Freway retira oitocentas toneladas

A dragagem do canal de entrada da casa de bombas 6, localizada na avenida dos Estados, 2905 (embaixo do viaduto da Freway), no bairro Anchieta, foi concluída neste mês de fevereiro e alcançou um volume de 800 toneladas de material retirados (lodo e resíduos). O trecho dragado fica ao lado da avenida dos Estados e o canal possui 112 metros de extensão e 11 metros de largura.

A limpeza neste local é importante para possibilitar a captação das águas pluviais que vêm da galeria existente na avenida dos Estados bem como das águas do canal que drena a área do Aeroporto e arredores.

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb), por meio da Divisão de Manutenção de Águas Pluviais (DMAP), é responsável pela dragagem e desassoreamento de arroios em Porto Alegre. A empresa terceirizada executora do serviço é a F.F Maraskin Projetos, Construções e Incorporações Ltda. O valor do contrato é de R$ 3,475 milhões por um ano de prestação de serviços. Neste contrato já foi dragada também a bacia de retenção de cheias do Parque Marinha do Brasil e atualmente está sendo feita a dragagem do arroio Cavalhada, trecho entre as avenidas Icaraí e Diário de Notícias. Após a conclusão deste serviço, as equipes se deslocarão para dragar o arroio Dilúvio na avenida Ipiranga. Todo o serviço executado pela empresa terceirizada é fiscalizado e acompanhado por técnicos da DMAP.

Serviços – Buscando a transparência das ações e combater irregularidades, a empresa contratada deverá elaborar relatórios fotográficos mensais, além de planilhas com a descrição dos serviços realizados, tipo e quantidade de resíduos gerados, placas dos veículos utilizados no transporte, local de destinação final e rota realizada pelo caminhão até o aterro, comprovada via GPS. O projeto também inova na destinação ambientalmente correta para o lodo que é retirado dos leitos dos arroios, ficando a empresa responsável pela disposição final destes resíduos em local aprovado pela fiscalização.

“Porto Alegre possui um déficit de dragagem histórico e este trabalho junto aos arroios da cidade é parte integrante dos esforços para minimizar as situações de risco e alagamentos em todas as regiões da Capital. Importante sempre lembrar que, além do déficit estrutural, a falta de recursos devido à grave crise financeira do município e ainda as denúncias de irregularidades apontadas no último contrato, na gestão anterior, prejudicaram diretamente a manutenção prévia e a continuidade ideal dos serviços”, afirmou o secretário municipal de Serviços Urbanos, Ramiro Rosário.

Dragagem – Os serviços de manutenção de arroios devem ser executados de forma rotineira, sendo distribuídos entre os vários arroios existentes na cidade, prevenindo o transbordamento e consequentes inundações e alagamentos. A dragagem e desassoreamento de arroios e canais compreendem a retirada de material (areia, lodo, entulho) da calha do arroio. Este material deverá ficar depositado, temporariamente, na margem do córrego para secagem por um prazo de 15 dias, antes de ser transportado ao seu destino final.

Drenagem urbana – A DMAP tem a responsabilidade de controlar, além da rede de esgoto pluvial de Porto Alegre, a situação dos arroios, dos diques de proteção contra as cheias (como o Muro da Mauá) e das casas de bombas, que desenvolvem funções típicas de drenagem urbana. A posição geográfica de Porto Alegre é uma aliada às enchentes e alagamentos. A cidade ocupa 471.160 hectares e apresenta topografia extremamente complexa. Ela é formada por morros e áreas planas e baixas, contando com 27 arroios e seus afluentes, que perfazem uma extensão aproximada de 150 quilômetros. As regiões baixas possuem aproximadamente 35% de sua área urbanizada abaixo da cota 3 (três metros acima do nível do mar), ou seja, praticamente no mesmo nível médio das águas dos rios.

Tags

Artigos relacionados

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios