DestaqueRS

Feira Sem Fronteiras expõe criatividade do artesão caxiense

Evento ocorre sempre no segundo domingo do mês, na Praça das Feiras

A Feira Sem Fronteiras retomou as atividades neste domingo (11/03), na Praça das Feiras. O evento ocorre sempre no segundo domingo do mês, a exemplo de 2017, trazendo em torno de 150 expositores de artesanato e alimentação para a comunidade. Na primeira edição de 2018, os artesãos ofereceram produtos voltados à Pascoa. Além disso, dois cães do canil municipal foram adotados em mais uma edição da campanha Adote por Amor.

A criatividade em transformar peças descartadas em diferentes produtos é uma das principais marcas dos participantes da Feira Sem Fronteiras. Isabel Carneiro, 53 anos, é exemplo disso: a artesã trabalha com reaproveitamento de materiais em uma oficina de economia solidária no bairro Mariani, onde acolhe idosos e crianças. Calças jeans doadas por brechós viraram bolsas com forro feito de tecido utilizado em guarda-chuvas. Materiais que sobram da indústria têxtil garantem a fabricação de tapetes. Até cordinhas utilizadas em banners são transformadas em centro de mesa. “O espaço e a clientela da feira são muito bons. Tudo que utilizamos é reaproveitado e o sustento da casa vem desse trabalho”, salienta.

A integração cultural é outro aspecto que já virou tradição no evento. Os senegaleses Ousmane e Malick Ndiaye fazem esculturas em madeiras africanas como ébano e baobá. A mais vendida, de longe, é a de elefante. “As pessoas compram porque acreditam que dê sorte”, percebe Ousmane. A banca também vende esculturas de macacos, tigres, leões, hipopótamos e tartarugas, bem como carrancas e imagens de africanos. Ousmane foi o primeiro africano a participar da Feira Sem Fronteiras, onde comercializa desde a primeira edição. “Aqui é muito bom, porque é uma oportunidade para todos: tanto para vender os produtos quanto para as pessoas conhecerem a nossa cultura”, explica.

O trabalho artesanal de Eduardo Henzel, eletricista de 57 anos, é feito como hobby. Ele desenvolve luminárias e abajures em canos de PVC. As esculturas são feitas lixando o plástico, deixando áreas mais densas e outras onde a luz consegue penetrar mais facilmente. Cada obra demora de seis a oito horas para ficar pronta. “A Feira Sem Fronteiras ajuda a divulgar o nosso trabalho. Muitas vezes as pessoas não compram na hora, mas entram em contato mais tarde para fazer uma encomenda”, comenta.

A feira contou ainda com outras opções de produtos feitos para decoração, peças em materiais recicláveis, MDF, pinturas e esculturas. Na parte de alimentação, bancas com comidas veganas, geleias, biscoitos, acarajé e fondue. Destaque para o fast food colombiano e venezuelano, oferecendo, entre outros produtos, arepas (massa de pão feita com milho moído) com recheio de carne e frango.

Ao final da tarde, as candidatas ao trio de rainha e princesas da Festa da Uva 2019 divulgaram a Festa das Colheitas. A próxima edição da Feira Sem Fronteiras será no dia 8 de abril. Quem quiser expor pode entrar em contato com a Secretaria Municipal do Urbanismo, solicitando-a pelo telefone (54) 3218.6000.

Feira Sem Fronteiras
A feira foi lançada em maio de 2017 e ocorre sempre no segundo domingo do mês, na Praça das Feiras. A ação é uma opção de renda para trabalhadores autônomos, que vendem mercadorias com procedência. Além disso, promove a integração de diferentes culturas.

O projeto é coordenado pelo gabinete da Primeira-Dama, Andrea Marchetto Guerra, e pelas secretarias municipais do Urbanismo, da Cultura, do Turismo, do Governo e do Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego, em parceria com o Centro de Atendimento ao Migrante (CAM).

Informações da PMCS

Tags

Artigos relacionados