Variedades

Dicas para diminuir o consumo de combustível do seu carro

Especialista do IMT explica que é preciso avaliar não apenas o preço do combustível, mas também a autonomia do veículo

Preocupados com o preço do combustível na bomba, os motoristas acabam esquecendo de avaliar outros aspectos que podem influenciar no consumo do veículo. Alguns hábitos fazem o carro consumir combustível além do necessário e devem ser evitados. Veja algumas dicas para reduzir este consumo:

Evite acelerar demais na partida
No momento da primeira marcha, o consumo é alto, desta forma, não force a aceleração. Com o movimento, perceba o momento certo de trocar de marcha e acelere suavemente fazendo a troca de maneira progressiva. Mesmo em veículos com câmbio automático o segredo é acelerar suavemente.

Faça sua conta!
O professor Renato Romio, chefe da Divisão de Motores e Veículos do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT) e autor do recente estudo Análise Estatística de Desempenho e Performance de Combustíveis, conduzido pelo IMT, explica que é preciso avaliar não apenas o preço do combustível na bomba, mas também a autonomia do veículo.
“Independente do automóvel, o condutor pode fazer o seu próprio cálculo. Basta abastecer o veículo, rodar mais do que meio tanque e encher novamente. É fundamental anotar a quilometragem na saída do posto nas duas ocasiões para saber a quilometragem rodada e a quantidade de litros abastecida na segunda vez. Depois, é só dividir a quantidade de quilômetros rodados pela quantidade de litros reposta no tanque, desta forma é possível obter o resultado em quilômetros por litro (km/l). É um procedimento simples e rápido que ajuda a prestar atenção no consumo e economizar”, explica.
O estudo mostra que a relação entre o etanol e a gasolina pode ser diferente dos 70% adotados como padrão pelo mercado. O desempenho do etanol em modelos de veículos testados variou de 70,7% e 75,4%, uma diferença considerável. Como referência, os valores encontrados para os mesmos modelos de veículos, testados em laboratório, no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV) foram, respectivamente, 66,7% e 72,1%.
“Ou seja, os valores de consumo no uso real do veículo podem ser melhores do que os resultados verificados em testes de laboratório, por isso é importante avaliar o consumo individual, nas condições de transito é trajetos habituais”, completa o professor.

Procure o melhor trajeto
O caminho mais curto nem sempre é o mais econômico. Congestionamentos, subidas e lombadas só fazem o carro consumir mais. Se houver um caminho mais longo, mas que permita uma velocidade constante, prefira. Alguns aplicativos para telefones celulares ajudam a descobrir os melhores caminhos.

Evite acelerar na descida
Acelerar o carro na descida é um daqueles hábitos que entram no “piloto automático”, que alguns motoristas fazem sem perceber. A partir de 40 km/h, sem aceleração, não entrará uma gota de combustível no motor. Basta conferir a medição de consumo instantâneo; ela cairá até zerar.

Na descida não deixe a marcha em ponto morto
Fuja do ponto morto, mais conhecido como “banguela”. A banguela aumenta o consumo de combustível, uma vez que a maioria dos veículos funciona com injeção eletrônica. Ao descer engatado, o sistema entende a desaceleração e aciona o modo ‘cut off’, ou seja, irá cessar os comandos para os bicos injetores, cortando o envio de combustível para o motor, enquanto que se estiver na “banguela” o sistema de injeção continuará injetando combustível para manter o motor ligado.

Troque de marcha sem forçar o motor
Colocar a marcha certa significa encontrar a melhor relação de torque e potência e garantia de melhor economia, além de evitar aquele incômodo ronco do motor. Essa é a razão da grande eficiência dos câmbios do tipo CVT: eles sempre disponibilizam a relação de transmissão ideal para cada situação.

Faça ultrapassagens na hora certa
O consumo instantâneo em ultrapassagens aumenta consideravelmente, principalmente em subidas. Desta forma, prefira as ultrapassagens em terrenos planos ou descidas. Manter a velocidade constante compensa mais para o bolso do que ficar acelerando e freando.

Pneus
A calibração periódica da pressão dos pneus conforme recomendações do fabricante do veículo é importante para a economia de combustível. Pneus com pressão mais baixa que a ideal podem aumentar o consumo de 1% a 3%.

Atenção com o ar condicionado
O ar condicionado deve ser usado de forma inteligente e seguindo as dicas do fabricante do veículo pois, dependendo do uso, pode aumentar o consumo em até 15%.

Cuide da manutenção
Não esqueça de fazer a manutenção periódica do carro. Um filtro de ar sujo pode aumentar o consumo em até 20%.

Sobre a UNICA — A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) é a entidade representativa das principais unidades produtoras de açúcar, etanol (álcool combustível) e bioeletricidade da região Centro-Sul do Brasil, principalmente do Estado de São Paulo. Suas usinas associadas são responsáveis por mais de 50% da produção nacional de cana e 60% da produção de etanol. Na safra 2016/17, o Brasil produziu aproximadamente 651 milhões de toneladas de cana, matéria-prima utilizada para a produção de 38,7 milhões de toneladas de açúcar, 27,2 bilhões de litros de etanol e mais de 20 TWh para a rede elétrica nacional.