DestaqueVariedades

Vinícolas uruguaias se preparam para o festival da poda em julho

Após a vindima, a poda é considerada um dos processos mais importantes do setor vitivinicultor, e no Uruguai ele é aberto ao público por algumas vinícolas. “A poda é um dos eventos mais expressivos da produção em uma vinícola, assim como a colheita, esse processo deve ser experimentado”, diz Diego Spinoglio, proprietário da Bodega Spinoglio.

Um momento tão crucial para a vinha que define verdadeiramente o destino de cada parcela”, completa Margarita Carrau, sócia-proprietária da Cerro Chapéu. O Festival de Poda começou em 2009, e depois foi transformado em Poda e Cozinha Criolla. Julho é o mês dele e das férias de inverno, essa junção torna ainda mais interessante o compartilhar de tesouras para podar as vinhas com a família.

A associação Uruguay WineTours, por meio do selo “Los Caminos del Vino”, apresenta diversos estabelecimentos das regiões de Canelones, Maldonado e Montevidéu, onde os turistas poderão participar do momento da poda, passear entre os vinhedos e harmonizar os vinhos produzidos por cada uma das bodegas com os pratos servidos nos restaurantes da casa.  

Sobre Los Caminos Del Vino:

Criada em 2005, “Los Caminos del Vino” surgiu para unificar e consolidar o mercado de turismo de vinho no Uruguai. Fortalecer o setor vinícola e posicionar seus produtos de alta qualidade, tanto no mercado interno quanto no internacional, criando uma imagem de país produtor e exportador de vinhos finos, é o objetivo da associação.

Atualmente, aproximadamente 20% dos turistas brasileiros realizam visitas às vinícolas localizadas em Rivera, Canelones, Maldonado e Montevidéu. Desde o surgimento da associação e oficialização da atividade no país o aumento das visitas às vinícolas se mantem em crescimento, e muito desse resultado aconteceu devido o apoio da associação, que impulsionou junto à órgãos públicos o Enoturismo.

“Quando organizamos uma associação, somamos força para potencializar um setor que é promissor no país”, diz Paula Pivel, presidente de “Los Caminos del Vino”. Reconhecimento, apoio institucional das prefeituras, do Instituto do Vinho (INAVI) e Ministério do Turismo do país, bem como a divulgação em eventos e feiras internacionais, foram algumas das conquistas e benefícios dessa associação às vinícolas.

Um pouco sobre as vinícolas 

  • Alto de la Ballena: muito próximo das praias de Punta del Este, pode-se admirar a charmosa paisagem que tem um lago nas proximidades, onde as serras terminam no mar. A linda vinícola, estabelecida desde 2001, produz edições limitadas de vinhos exclusivos de Merlot, Cabernet Franc, Viognier e Syrah, e a original mistura de Tannat-Viognier.
  • Bodega Artesana: desde 2007, escolheram o lugar em Las Brujas, Canelones. Aqui o segredo está na produção em baixa escala com vinhos de alta qualidade, sendo uns dos únicos a produzir a Zinfandel, além das tradicionais Tannat, Merlot Cabernet Franc.
  • Bodega Bouza: desde 2003 no mercado, é umas das mais conhecidas entre os brasileiros. O trabalho em pequena escala cuida de todos os detalhes, desde a vinha até o engarrafamento, o que tornou possível posicionar os vinhos a nível internacional.
  • Bodega De Lucca: Há mais de 70 anos em operação, a vinícola produz em 50 hectares seu próprio vinho. Tem forte tradição vitivinícola italiana passada de geração em geração. Também vale a recompensa ao provar seus vinhos.
  • Bodega Marichal: desde 1938 nas mãos da mesma família a quatro gerações, são produzidas em 50 hectares uvas como Tannat, Cabernet Sauvignon, Merlot, Pinot Noir, Chardonnay e Sauvignon Blanc. O espaço rústico faz o tempo parar.
  • Bodega Moizo: a somente 30 minutos de Montevidéu, localizada em Juanicó, a Bodega boutique tem tradição Piemontesa desde 1954. O estabelecimento produz vinhos em pequena escala por seus próprios enólogos. Dentre os produtos estão os vinhos finos, Licor de Tannat e a deliciosa comida caseira, localizada entre jardins e prados.
  • Bodega Spinoglio: Sob o comando da quarta geração da família Spinoglio, Luigi Spinoglio, trouxe o ofício de vitivinicultor da Itália em 1898. Atualmente, possuidora de um estilo luxuoso e rústico cultiva Tannat, Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay y Sauvignon Blanc.
  • Bodegas Carrau: são 266 anos de tradição vitivinícola familiar da Catalunha (Espanha) ao Uruguai. Localizada em Montevidéu, a tão só 17 km do centro da cidade, num entorno muito belo, com um típico casarão colonial rodeado de área verde e vinhedo. Está entre os estabelecimentos mais premiados do Uruguai com seus vinhos de alta qualidade.
  • Bodega Cerro Chapeu: é uma vinícola com um projeto arquitetônico pioneiro que funciona por gravidade, o processo é extremamente inovador, que vale a pena conhecer. Está mais ao norte do Uruguai, é fronteira com o Brasil. Seu terroir único, proporcionou ao estabelecimento com estilo fazenda um Tannat muito reconhecido em todo o mundo.
  • Viñedo de los Vientos: fundada em 1998 por Pablo Fallabrino, amante do vinho e do surf. Ele usa técnicas de vinificação que não seguem um padrão, muitas vezes desenvolvendo sua própria técnica de vinificação, que marca um estilo de vinho muito original. Além de Tannat produz outras linhagens italianas, como Nebbiolo, Barbera e Arneis.
  • Estabelecimento Juanicó: Maior vinícola do Uruguai, com a maior posição no mercado de vinhos finos interna, é produtora do vinho mais vendido no Uruguai: Don Pascual. Além de seus vinhos, produz azeite.
  • Pizzorno Family Estates: fundada em 1910 por Don Próspero José Pizzorno, a tradicional e secular vinícola está 20 km de Montevidéu. A qualidade dos vinhos dá as safras características complexas e elegantes. Reconhecida por seu “Tannat Maceración Carbónica”.
  • Viña Varela Zarranz: inaugurada há mais de 130 anos, produz Tannat, Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Marselan, Petit Grain Muscat, Chardonnay, Sauvignon Blanc, dentre outras. É uma das vinícolas com maior trajetória e história no Uruguai.
Tags

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios