ATUALSaúde

Dicas para comer melhor (e emagrecer) sem riscos à saúde

Muita gente considera a falta de exercícios físicos o principal problema para a insatisfação com o próprio corpo ou com a saúde. E nem todo mundo dá o devido valor para a importância da alimentação adequada na busca pelo bem-estar e pela qualidade de vida. Para a médica Andréa Sampaio, especialista em nutrologia do Instituto Paulistano de Neurocirurgia e Cirurgia da Coluna Vertebral, a alimentação moderna está fazendo com que o ser humano, aos poucos, prejudique seu próprio corpo e sua saúde. “Quando as pessoas decidem emagrecer acabam fazendo da forma incorreta, cortando da alimentação itens indispensáveis para o equilíbrio do corpo. O mesmo acontece com quem deseja se alimentar melhor e, por conta própria, defini o ‘próprio cardápio’, que, muitas vezes, está inadequado para seu estilo de vida”.

A especialista revela cinco dicas para as pessoas obterem êxito na hora de planejar e colocar em prática o cardápio para uma alimentação melhor e mais equilibrada:

  • Consumo diário: o ideal é termos uma alimentação equilibrada, prevenindo deficiências nutricionais, melhorando o trabalho do sistema imunológico e protegendo o organismo contra doenças infecciosas. Podemos destacar o Licopeno (cenoura, mamão, manga, couve); Fibras (frutas, legumes, verduras, aveia; Flavonóide (suco natural de uva, morango, ameixa, repolho); Isiflavonas (soja – de preferência em grão); Ácidos graxos Omega 3 (peixes e óleo de peixe);
  • Reeducação alimentar: O nosso corpo para trabalhar de forma adequada, necessita de todos os macronutrientes (carboidratos, proteínas, gorduras) e micronutrientes (vitaminas e sais minerais). A reeducação alimentar tem a finalidade de aprendermos a comer de tudo sem exageros, de uma forma equilibrada, com alimentos que garantam uma boa nutrição, respeitando a individualidade de cada pessoa. Um alimento por si só não tem a capacidade de fazer emagrecer, mas aprendendo a se alimentar de forma adequada e respeitando os horários conseguimos atuar na redução e na própria manutenção do peso;
  • Mulheres e a celulite: esta alteração (que tira o sono de muitas mulheres) envolve fatores hormonais, vasculares, neuroendócrinos, erros alimentares e sedentarismo, levando a uma alteração do relevo cutâneo. Para ajudar a amenizar estas alterações, é aconselhável diminuir o consumo de sal, enlatados, alimentos em conserva, frituras, embutidos e alimentos industrializados, pois aumentam o acúmulo de toxinas. Dar preferência a consumo de frutas, alimentos integrais, verduras e legumes – crus ou cozidos ao vapor – e temperos naturais;
  • Dor de cabeça: Muitos fatores podem piorar este grande mal que afeta os brasileiros, entre eles: o uso de analgésicos em excesso, longos períodos de jejum, tabagismo, uso de contraceptivos orais, sono inadequado, estresse, falta da prática de exercícios físicos regulares e, principalmente, o componente alimentar, que é muito importante;
  • Cuide de seu corpo: Não se esquecer que a prática de exercícios físicos regulares e modificações do estilo de vida, como tabagismo, etilismo e sedentarismo evitam diversos problemas de saúde e contribuem – muito – para alcançar os resultados esperados.
Tags

Artigos relacionados

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios