GeralNotícias

Brasil reforça controle para evitar febre aftosa

Diante do registro de casos de febre aftosa na Colômbia, o Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (Mapa) intensificou a fiscalização em Roraima e no Amazonas, região próxima ao país, com o acionamento do sistema nacional de vigilância.

Publicidade

Os primeiros registros de febre aftosa na Colômbia foram comunicados à Organização de Saúde Animal (OIE) no último dia 24 de junho. Para preservar os animais brasileiros, a pasta tornou mais rígidas as inspeções de animais e produtos que circulam entre os dois países.

De acordo com o diretor do Departamento de Saúde Animal (DSA) da Secretaria de Defesa Agropecuária, Guilherme Marques, o objetivo é evitar que o vírus se alastre. “A situação representa baixíssima probabilidade de ameaça ao status sanitário brasileiro, porque o foco está localizado a aproximadamente 600 quilômetros da nossa fronteira e existe uma extensa barreira natural que nos protege.”

A Colômbia faz fronteira com o Brasil no noroeste do Amazonas e o foco localiza-se distante da fronteira brasileira, sendo que a região é composta por densas florestas e sem a produção pecuária.

Febre aftosa

O vírus da febre aftosa é altamente contagioso. O animal afetado apresenta febre alta, que diminui após dois a três dias. Em seguida, aparecem pequenas bolhas que se rompem, causando ferimentos. O animal deixa de andar e comer e, no caso de bezerros e animais mais novos, pode até morrer.

A transmissão pode ocorrer por meio da ingestão de água e alimentos que estejam contaminados pela saliva de animais doentes. O vírus é resistente, podendo sobreviver durante meses em carcaças congeladas.

Segundo o Ministério da Agricultura, o Brasil é um País livre da febre aftosa com vacinação. A intenção é retirar totalmente a vacinação do País entre 2019 e 2023, quando o Brasil deverá ser reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre da doença sem vacinação.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar

Seu navegador está bloqueando os anúncios deste site.

Todo o conteúdo deste portal é 100% gratuito. Os anúncios que exibimos é a forma de manter este veículo de informação independente e comprometido somente com você leitor.