DAF lança três caminhões voltados a operações de cana e madeira

A DAF Caminhões Brasil entra no segmento off road e lança no mercado nacional os modelos CF85 e XF105 para operações de cana e madeira. Os novos caminhões são produzidos na fábrica de Ponta Grossa, no Paraná, e chegam às concessionárias em 2018. A montadora já está comercializando os novos produtos na Fenatran – Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Cargas, por meio do time das 23 revendas distribuídas pelo Brasil.
“Estamos entrando em um segmento com grande potencial comercial e nivelado pela qualidade e pelo baixo custo operacional. Os novos CF85 e XF105 superaram a expectativa dos nossos clientes durante os testes, com excelente performance, agregando alto torque e consumo de combustível abaixo da média. Com a qualidade do nosso produto e o relacionamento dos nossos concessionários, tenho a convicção que a linha off road será um sucesso. Somado a isso, estamos trazendo também o XF105 4×2 para os segmentos de cegonha, químico, baú e sider”, afirma Luis Gambim, Diretor Comercial da DAF Caminhões Brasil.
Cabines
O CF85 off road está disponível em três opções de cabine: a Day Cab, com teto baixo; a Sleeper Cab, com teto baixo e cama; e a Space Cab, com cama e teto alto, a maior e mais espaçosa do segmento. A opção maior ainda tem como opcional o Skylight, faróis de teto, que proporcionam maior visibilidade durante operações noturnas em campo.
No interior, as cabines se destacam pela ergonomia e conforto, diminuindo o cansaço do motorista e aumentando a segurança. Os bancos vêm revestidos com capa de vinil, aumentando a durabilidade do estofamento e facilitando a limpeza. Os clientes também podem optar pelo acionamento manual dos vidros, facilitando uma possível manutenção.
A linha XF105 off road está disponível em duas opções de cabine, Comfort Cab e Space Cab, ambas com cama e agregando todos os opcionais e diferenciais da linha CF. Os dois modelos também contam com o primeiro degrau de acesso à cabine reforçado, aumentando sua durabilidade.
O modelo florestal pode ser equipado também com sistema de exaustão vertical.
Trem de força
Os dois modelos são equipados com motor PACCAR MX 13, de 12,9 litros. O CF85 com potência de 460 cv e o XF105 de 520 cv.
O propulsor tem bloco em ferro fundido vermicular, seis cilindros em linha e também é fabricado na unidade de Ponta Grossa. A embreagem Sacks Heavy Duty e a transmissão ZF ASTronic automatizada de 16 marchas, são preparadas para uso severo.
Os modelos contam também com seletor Dual Driving com modos de condução On Road ou Off Road, para respostas mais precisas e melhor desempenho. O eixo trativo Meritor tem redução nos cubos em relações de 4,55:1 ou 5,41:1.
A admissão de ar é do tipo ciclônica, com filtro centrífugo, com filtragem de até 80%, melhorando a performance do filtro, o que reduz o consumo de combustível.
Ambos os modelos têm PBTC de 125 toneladas e CMT de até 175 toneladas.
“O XF105 off road atende à nova legislação que permite PBTC de 91 toneladas, em rodotrens de 11 eixos, uma solicitação do setor sucroalcooleiro. O motor de 520 cv é o mais potente da marca no Brasil’, completa  Ricardo Coelho, diretor de Desenvolvimento de Produto da DAF Caminhões Brasil.
Chassi
O chassi foi redesenhado, recebendo reforço para aplicações severas, com maior quantidade de carga. Há a possibilidade dos modelos virem equipados com reforço frontal para reboque, mais comum em operação florestal.
Todos os modelos vêm com proteção de radiador. O padrão florestal conta também com proteção do cárter de óleo, e o padrão cana com redutor de nuvens de poeira para proteção do motor. A quinta roda de 3,5’’ também é adequada às aplicações, com rampa auxiliar para acoplamento e desacoplamento do implemento.
A suspensão traseira é trapezoidal, desenvolvida para 26 toneladas, chegando a 32 toneladas. Os para-lamas traseiros podem ser parciais em plástico, ou totalmente em alumínio, melhorando a manutenção da limpeza no caminhão.
Programa de testes
O projeto dos caminhões off road da DAF começou há mais de 2 anos, e já acumula 300 mil quilômetros rodados em testes na operação.
A primeira etapa consistiu na instalação de mais de 200 sensores em um caminhão, que circulou por fazendas de diversos estados do país. “Esta etapa foi fundamental, pois coletamos dados muito ricos sobre as operações off road no Brasil. Pudemos observar também a presença do DNA de robustez da nossa marca”, afirma Ricardo.
A linha off road ainda passou por testes de durabilidade acelerada em pistas especiais antes de seguir para campo em operações de grandes clientes. Atualmente, são quatro caminhões, na Cevasa-Cargil e Biosev, duas das maiores processadoras de cana de açúcar do país; e na Klabin e Expresso Nepomuceno, em duas operações de madeira.