Colheita do tabaco: RS é responsável por metade da produção nacional

Na propriedade de Antônio Alcir Coutinho, em Venâncio Aires, o governador José Ivo Sartori abriu oficialmente a colheita do tabaco em todo Estado do Rio Grande do Sul. Foto: divulgação Afubra

No campo, na Região Sul do Brasil, 600 mil pessoas estão envolvidas na produção do tabaco. Na indústria, são 40 mil empregos diretos. O setor tabageiro é responsável pela geração de R$ 13,2 bilhões em impostos anualmente. Nessa sexta-feira (27), em uma área de 52 hectares, na propriedade de Antônio Alcir Coutinho, em Venâncio Aires, foi aberta oficialmente a colheita do tabaco em todo Estado. O evento marcou a 1° edição da abertura da colheita e reuniu cerca de 400 pessoas entre autoridades e lideranças do setor.

Um dos defensores da cultura do tabaco, o deputado Pedro Pereira (PSDB), disse que é preciso respeitar e valorizar o trabalho dos homens e mulheres do campo, que são os responsáveis por manter o Estado e o País de pé. “Essa cultura gera renda e milhares de empregos. É graças aos trabalho dos nossos produtores que o tabaco brasileiro é um dos mais procurados pelos clientes internacionais. Para se ter uma ideia, no ano passado 483 mil toneladas de tabaco foram embarcadas para 90 países, num valor de 2,12 bilhões de dólares” comemorou o parlamentar.

De acordo com a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) a estimativa é que sejam colhidas 693 mil toneladas de folhas de tabaco na próxima safra (2017/2018) em todo o país, sendo quase a metade (307 mil toneladas) no Estado. Para o secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi), Ernani Polo, a data representa um resgate histórico de uma cultura cultivada há mais de cem anos no estado. “É um reconhecimento aos homens e mulheres que se dedicam e se doam. São famílias inteiras que vivem e sobrevivem dessa atividade, especialmente em pequenas propriedades”, disse.

Na última safra (2016/2017), o Rio Grande do Sul colheu 344 mil toneladas de folhas. Isso gerou uma renda de R$ 2,94 bilhões para os produtores e R$ 1,65 bilhão em exportações. No Estado, a cultura do tabaco envolve 75 mil produtores e 300 mil pessoas no meio rural. Segundo o SindiTabaco, o RS é responsável por metade da produção nacional. Além disso, o tabaco representa 10% de tudo que o estado exporta. A atividade está presente em 238 municípios, sendo que Canguçu, Venâncio Aires e São Lourenço lideram o ranking brasileiro.

A partir de agora, a data (27 de outubro) passa a integrar o calendário oficial do estado. Entre as autoridades presentes no evento, estavam o governador José Ivo Sartori e o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira; além de representantes do SindiTabaco, Afubra, Farsul e Fetag.