São Leopoldo

Valorização da resistência marca abertura do Mês da Consciência Negra

A abertura do mês da Consciência Negra, em São Leopoldo, ocorreu na terça-feira, 7 de novembro, na Galeria Liana Brandão (Biblioteca Pública Municipal Vianna Moog), com a exposição: “Mãe África: A beleza da nossa cor”. A programação segue até dia 26 de novembro, numa realização da Secretaria de Integração Social (Direitos Humanos – SEDHU) e Secretaria da Cultura (SECULT). “Não temos que ser lembrados apenas nas ações, nós temos que ser lembrados na memória. Quando fomos escravizados, nos tiraram até o sobrenome, que é a coisa mais sagrada que uma nação e uma pessoa podem ter. Mas não tiraram e não vão tirar jamais a nossa garra, a nossa luta e a nossa resistência”, destacou Nadir Maria de Jesus, da pasta da Igualdade Racial.

O mês da Consciência Negra é resultado da parceria entre Governo e sociedade civil. “Desde o dia 30 de outubro estamos fazendo debates em algumas escolas municipais e ONGs, num trabalho constante de reconhecimento e de valorização. Nossa população negra nunca esteve perdida, então não precisa ser ‘resgatada’, ela precisa ser valorizada. Este mês é para demarcar um espaço de reconhecimento, de valorização da nossa população negra”, frisou Nadir. Entre os destaques da programação duas casinhas comercializarão gastronomia afro durante 10 dias na rua Independência.

Etiquetas
Publicidade

Artigos relacionados

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios