Novo HamburgoRio Grande do SulSão Leopoldo

Estado pode ceder área para abrigar forças de Segurança em São Leopoldo

Uma área central, em localização estratégica em São Leopoldo, deve abrigar o conjunto das forças de Segurança. O tema foi tratado na manhã desta segunda-feira (11), no gabinete da presidência da CEEE, atual detentora da área de cerca de 12 mil e quinhentos metros quadrados. O local é negociado com o governo do Estado e a primeira força de segurança a se instalar será o 25º Batalhão de Polícia Militar, que abrange São Leopoldo, Capela de Santana e Portão, e hoje está situada em uma propriedade alugada.

O assunto, articulado em conjunto pelo deputado estadual Tiago Simon e vereador Arthur Schmidt, foi tratado diretamente com o presidente da CEEE, Paulo de Tarso Pinheiro Machado, com a participação do comandante regional da Brigada Militar no Vale do Sinos, coronel Álvaro Medeiros, comandante da BM em São Leopoldo, tenente-coronel Daniel Coelho, da chefe de gabinete da Secretaria Estadual da Fazenda, Beatriz Fagundes e o assessor do deputado Tiago Simon, Daniel Daudt.

O presidente da CEEE se demonstrou favorável à transação, respeitando todos os trâmites jurídicos, reforçando a ideia de que a área também poderá sediar unidades da Polícia Civil. O deputado Tiago Simon ressaltou a importância de dialogar com as Secretarias Estaduais de Segurança e Meio Ambiente durante o processo antes de apresentar o assunto oficialmente ao Ministério Público. Atualmente São Leopoldo busca uma área para a construção da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) e a hipótese do órgão ser erguido no local não é descartada e será discutida com o delegado regional, Rosalino Seara, que tem interesse em erguer uma Central de Polícia na cidade, a exemplo de Novo Hamburgo.

Para o vereador Arthur Schmidt, dar estrutura aos órgãos de segurança é garantir a melhor execução de sua funcionabilidade. “Estamos tornando nossas forças mais eficazes, economizando dinheiro público e ampliando o seu alcance e a integração entre os órgãos”, salienta. Embora a área passe a ser do Estado, Arthur ainda não descarta o uso para a instalação da base da Guarda Civil Municipal, força de segurança de atribuição do município.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo