Cuidado com os alimentos falsamente saudáveis

Alerta da PROTESTE lembra que embora certos alimentos pareçam ser saudáveis, nem todos fazem bem à saúde

Anunciados como alimentos que ajudam na redução do peso, produtos industrializados, como barrinhas de cereal, peito de peru, suco de caixinha e biscoito água e sal, podem conter açúcar, sódio e gordura em excesso. Optar por esses alimentos ditos “milagrosos”, mesmo nas suas versões diet e light, pode ser um erro para o consumidor que quer emagrecer ou busca melhorar a sua alimentação.

Embora sejam práticos e aparentem ser “saudáveis”, não são todos que fazem bem à saúde. Adotar uma dieta balanceada é a melhor forma para quem quer eliminar o excesso de peso. De acordo com o Guia Alimentar da População Brasileira, a melhor opção é preferir os alimentos in natura ou minimamente processados.

Por isso, a PROTESTE, Associação de Consumidores, alerta os consumidores para limitar o consumo de produtos ultraprocessados apenas para situações de emergência. E, nessas situações, na hora de comprá-los, é preciso prestar atenção aos rótulos. Fique atento! A lista de ingredientes está em ordem decrescente, ou seja, o primeiro item está presente em maior quantidade.

Conheça, a seguir, os alimentos considerados “falsos saudáveis”:

Barrinha de cereal

Fáceis de carregar, muita gente acha que elas são ricas em fibras (responsáveis pelo bom funcionamento do intestino e pela saciedade), mas, na verdade, algumas trazem teores abaixo do esperado, além de serem ricas em sódio e açúcar. Em teste realizado pela Associação de Defesa do Consumidor, com barras de cereal, foram identificados conservantes que podem aumentar a quantidade de lipídios e gorduras no sangue, dificultando a absorção das vitaminas A e D pelo organismo, o que pode causar urticária e dermatite.

Suco de caixinha

A maioria desses produtos possui quase a mesma quantidade de açúcar dos refrigerantes. Também chamados de néctares de frutas, eles também contêm bem menos frutas do que o esperado para um suco.

Sopas Instantâneas

Embora práticas, elas são pouco nutritivas e, em geral, ricas em sódio e aditivos químicos. O excesso de sódio atua como fator de risco para o desenvolvimento ou agravamento da hipertensão arterial.

Peito de peru

Apesar de ser associado à alimentação saudável, o peito de peru é um embutido e, é rico em sódio e outros aditivos, como: corantes e conservantes. Uma porção de 40 g (duas fatias, em média) pode apresentar até 500 mg de sódio, o que representa 1/4 do valor diário recomendado. Além disso, o produto pode conter, de acordo com estudo realizado anteriormente pela Proteste, substâncias químicas, como nitritos e nitratos (relacionadas ao aumento do risco de câncer).

Gelatina

É um alimento ultraprocessado e contém açúcares, conservantes, aromatizantes e corantes. Por isso, o consumo de gelatina, sobretudo entre as crianças, pode levar ao desenvolvimento de alergias, hiperatividade, déficit de atenção, asma, problemas gástricos, diversos tipos de câncer (como o de bexiga), entre outras.

Cereais matinais

Mesmo sendo uma boa fonte de energia, a maioria traz alto teor de açúcar e de sódio. Por isso, o consumo de cereais nessas versões não é recomendado para crianças e deve ser evitado pelos adultos.

Biscoitos água e sal

Eles, em geral, combinam trigo branco, gordura hidrogenada, açúcar, sal e aditivos químicos. Usados para substituir o pão nas dietas, os biscoitos água e sal precisam ser consumidos com moderação. Há até marcas que devem ser evitadas, porque ainda trazem gordura trans (que não tem o consumo recomendado pela Organização Mundial da Saúde).

Bisnaguinhas

Presença unânime nas lancheiras infantis, elas trazem nos ingredientes farinha branca, gordura hidrogenada (relacionada com aumento de colesterol e obesidade), açúcar, sal e aditivos e, em alguns casos, até gorduras trans.

Também é um alimento pobre em fibras.