Geral

Mostra de cinema sobre David Bowie em Curitiba

A CAIXA Cultural Curitiba recebe, entre 20 e 28 de fevereiro de 2018, a mostra itinerante de cinema O Homem que Caiu na Terra. Além de apresentar 24 filmes com David Bowie, a retrospectiva também promove um Ciclo de Ideias que tem como fio condutor o trabalho de um dos artistas pop mais influentes de todos os tempos, cujo legado marcou não apenas a música, mas também a moda, o comportamento e o cinema.

Furyo, Em nome da honra

Bowie escreveu roteiros, dirigiu videoclipes, assinou trilhas sonoras e atuou em dezenas de filmes e programas de TV em seus mais de 40 anos de carreira. Esse período de quase meio século da cultura pop é percorrido na programação da mostra O Homem que Caiu na Terra, que reúne filmes de ficção de curta, média e longa durações.

Publicidade

Os títulos apresentados reúnem desde clássicos – como o longa-metragem que dá nome à mostra, O Homem que Caiu na Terra (1976) – até obras mais obscuras, como curtas-metragens nos quais Bowie atuou nos anos 1960 e 1970, e também filmes infantis notórios.

Basquiat – Traços de uma vida

Entre os destaques, estão sucessos de público como Labirinto – A magia do tempo (1986); Eu, Christiane F., 13 anos, drogada e prostituída (1981); e o cult Twin Peaks: Os Últimos Dias de Laura Palmer (1992), de David Lynch. A mostra também traz curtas-metragens raros, como The Image (1969), que é o primeiro filme da carreira de Bowie nas telas; e dois outros com atuação e roteiro de David Bowie: Pierrot in Turquoise or The Looking Glass Murders (1970) e Jazzin’ for Blue Jean (1984).
Vale ressaltar que o precioso filme Fome de Viver (1983), que reúne David Bowie, Catherine Deneuve e Susan Sarandon no elenco, conta com legendagem descritiva para deficientes auditivos em sua exibição.
Vale ressaltar que o precioso filme Fome de Viver (1983), que reúne David Bowie, Catherine Deneuve e Susan Sarandon no elenco, conta com legendagem descritiva para deficientes auditivos em sua exibição.

CICLO DE IDEIAS | DEBATES

Publicidade

“Estou usando o rock’n’roll como um meio, acho que ele nunca foi bem representado. Quero que seja o instigador de novas ideias para que as pessoas tenham novas perspectivas”, disse Bowie no documentário David Bowie: Five Years in the Making of an Icon. A contribuição desse astro mundial na formação da cultura contemporânea também é abordada na mostra por meio de um “ciclo de ideias”, com debates que exploram temáticas relacionadas aos filmes apresentados.

A programação montada especialmente para o público de Curitiba apresenta duas atividades: bate-papo sobre Berlim e a influência da cidade na obra de Bowie, com a participação do jornalista cultural Abonico Smith e do DJ Hermes Pons, no dia 21 de fevereiro, às 19h; e um debate sobre o milenar interesse do ser humano por substâncias psicoativas e sua relação com a contracultura, com a presença do jornalista musical e escritor Alessandro Andreola e do músico e pesquisador cultural Cassiano Fagundes, no dia 23 de fevereiro, às 19h. Essa programação paralela é gratuita, e os debates contam com tradução simultânea em LIBRAS. Para participar, basta retirar o ingresso meia hora antes do evento.

 

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar